Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
92 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55347 )
Cartas ( 21072)
Contos (12178)
Cordel (9607)
Crônicas (21341)
Discursos (3113)
Ensaios - (9921)
Erótico (13148)
Frases (40257)
Humor (17570)
Infantil (3576)
Infanto Juvenil (2311)
Letras de Música (5420)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135960)
Redação (2881)
Roteiro de Filme ou Novela (1036)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1909)
Textos Religiosos/Sermões (4240)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->Lenda de Piên -- 09/04/2017 - 16:28 (Luciana do Rocio Mallon) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Lenda de Piên
Piên é uma cidade localizada no sudoeste do estado do Paraná, que possui causos interessantes.
Reza a lenda que, no século dezoito, nasceu uma índia com os lábios com formato de coração. Por isto, ela recebeu o nome de Piên que significa coração em tupi-guarani. Os pais, desta garota, prometeram à família de um índio chamado Ubiratã, que os dois se casariam quando ficassem adultos.
Piên cresceu e tornou-se noiva de Ubiratã. Numa tarde de verão, ela estava indo tomar banho de rio. Quando, de repente, avistou um pescador loiro dentro das águas. Então os dois se olharam e se apaixonaram. Assim passaram a se encontrar, às escondidas, no rio. Porém, muito desconfiada, a mãe de Piên seguiu a moça e descobriu tudo. Por isto esta senhora falou sobre a situação ao pajé e pediu uma magia para espantar o branco dos braços de sua filha. Deste jeito o feiticeiro jogou um pó encantado no pescador que transformou o coitado em gavião, que só sabia emitir um mesmo som:
- Piên!
- Piên!
- Piên!
Porém logo o gavião enfeitiçado lembrou-se de uma bruxa que morava numa região, onde hoje é a cidade vizinha de Rio Negro, que tinha o poder de falar com os animais e desfazer feitiços. Desta maneira a ave procurou esta feiticeira e explicou a sua situação. Assim a maga comentou:
- Não tenho como fazer você se transformar em homem, novamente, o tempo todo.
- Porém tenho uma magia que pode devolver seu formato humano apenas nas noites de Lua Cheia.
Mesmo assim o pássaro aceitou a proposta. Então o pescador passou a procurar Piên somente nas noites de Lua Cheia. Porém, nos outros dias, ele voltava a ser gavião, sempre rondando a aldeia com o mesmo som:
- Piên!
- Piên!
- Piên!
Numa madrugada, o pajé teve uma visão e exclamou:
- Por causa desta ave, um dia, esta região se chamará Piên!
Reza a lenda que, no instante, que este gavião mágico morreu os outros gaviões, destas terras, passaram a emitir este mesmo som:
- Piên!
- Piên!
- Piên!
Mais tarde, em 1850, esta região foi apelidada de Piên. Em 28 de março de 1890 o governo criou o Distrito Policial de Piên. Em 1905 este lugar foi promovido à categoria de Distrito Administrativo e Judiciário, com território que pertencia ao município de Rio Negro.
Em 25 de janeiro de 1961, por meio da Lei Estadual nº 4.338, sob sanção do governador do Paraná Moisés Lupion, o governo estadual fundou a cidade de Piên. O território saiu do município de Rio Negro, e Piên foi oficialmente inaugurada no dia 1º de novembro de 1961.
Luciana do Rocio Mallon






Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui