Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
59 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55052 )
Cartas ( 21061)
Contos (12131)
Cordel (9565)
Crônicas (21227)
Discursos (3108)
Ensaios - (9913)
Erótico (13135)
Frases (39980)
Humor (17551)
Infantil (3562)
Infanto Juvenil (2309)
Letras de Música (5414)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135727)
Redação (2875)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2374)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4205)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->Pé de moleque -- 16/06/2017 - 17:44 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
O pé que nunca foi de moleque, era servido em pedaços comuns equitativamente distribuídos ao redor da fogueira de Pedro Bidião que recentemente inaugurou sua prosa com São João. João assim como Bidião, rimavam não apenas pelo nome, mas também pelo gosto do bolo. Sempre foram requisitados a levar o bolo na cara ou na cabeça de alguém que não combinasse com a quadrilha desarmada do junino que não juniava nem julhiava. Bisbilhotavam toda a ocorrência na festança popular na praça dos quitutes. Bolo de milho, canjirão, fubá e pé de moleque nunca sumiam das vistas dos dois. Xuquita, irmã gemelar de Lalá, adorava dançar nas palhoças cobertas de palhas de cana e de milho só pra lembrar como é bom, de repente ter uma guarida.
Alavantu anarriê hoje tem festa das boas aqui no pedreguê!
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui