Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
86 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55218 )
Cartas ( 21066)
Contos (12156)
Cordel (9589)
Crônicas (21293)
Discursos (3112)
Ensaios - (9914)
Erótico (13140)
Frases (40122)
Humor (17564)
Infantil (3566)
Infanto Juvenil (2310)
Letras de Música (5416)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135847)
Redação (2879)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4226)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->Lenda da Bailarina da Casa Hoffman(Corrigida) -- 15/07/2017 - 15:11 (Luciana do Rocio Mallon) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Lenda do Fantasma da Bailarina da Casa Hoffman
No final do século dezenove, uma família de tecelões austríacos veio para o Brasil e escolheu morar em Curitiba, onde seus componentes construíram a Casa Hoffman em 1890, localizada no Largo da Ordem. Os descendentes destes tecelões austríacos habitaram esta casa até 1974. Depois a casa foi alugada e passou por diversos donos. Em 2003 ela tornou-se o Centro de Estudos do Movimento, onde até hoje há aulas e eventos de dança.
Em 2004, havia uma moça chamada Patrícia que cuidava da sua avó doente, pois ela não chegou a conhecer seus pais. Naquele mesmo ano esta jovem descobriu que tinha Câncer, mas decidiu não se tratar com medo que sua avó ficasse preocupada e por não acreditar nos resultados positivos da quimioterapia. Mesmo assim ela decidiu estudar balé na Casa Hoffman. Muitas vezes Patrícia ia para as janelas abertas da parte de cima da casa, onde ficava dançando e observando as pessoas no Largo da Ordem.
Naquela época existia um moço, de cadeira de rodas, chamado Pedrinho. Ele gostava quando a empregada levava a sua pessoa para passear no Largo da Ordem. Uma vez, ele viu Patrícia dançando na Casa Hoffman e se apaixonou por ela. Por isto, o rapaz passou a pedir para a empregada leva-lo para passear, perto da Casa Hoffman, sempre no mesmo horário.
Numa tarde de primavera, Patrícia estava treinando balé na Casa Hoffman. Quando, de repente, desmaiou e faleceu.
Depois daquele dia, nunca mais Pedrinho viu sua musa e caiu em depressão.
Numa noite este garoto, que morava no centro de Curitiba, sonhou com Patrícia vestida de bailarina e chamando por ele. Por isto, pegou sua cadeira de rodas e foi até o Largo da Ordem, mesmo estando de madrugada. Lá ele viu que a Casa Hoffman estava aberta e, como um raio, na porta apareceu a tão sonhada dançarina que disse:
- Boa madrugada!
- Meu nome é Patrícia e moro na eternidade.
- Você deseja dançar comigo?
O moço respondeu:
- Não posso bailar porque não ando.
Naquele mesmo instante Patrícia pegou nas mãos do garoto, que misteriosamente saiu da cadeira, e começaram a dançar.
Quando o relógio da Igreja da Ordem soou as três da madrugada, o moço caiu no chão. Assim a dançarina colocou Pedrinho de volta na cadeira de rodas e disse:
- Você poderá dançar comigo nas noites de Lua Cheia até às três da madrugada. Pois depois, o encanto se desfaz.
A partir daquele momento, os dois passaram a se encontrar para a dança mágica no Largo da Ordem.
Numa madrugada de luar, Pedrinho estava bailando com Patrícia. Quando, de repente, ele desmaiou. Assim o moço virou espírito e viu seu corpo sem vida na cadeira de rodas. Porém não deu bola e sua alma foi com o espírito de sua amada até o céu.
Na manhã seguinte, guardas acharam o corpo de um jovem falecido numa cadeira de rodas e o caso saiu na imprensa da época.
Em meados dos anos 2000, Débora era uma estudante de balé que fazia aulas de dança na Casa Hoffman. Porém ela não conseguia acertar uns passos. Deste jeito a jovem exclamou no meio da aula:
- Bem que poderia aparecer o espírito de uma bailarina experiente para ensinar os passos difíceis para a gente!
Naquela mesma noite, Débora sonhou que estava só na Casa Hoffman. Então uma bailarina entrou e disse:
- Você pediu que a alma de uma dançarina ajudasse você a aprender os passos que tem dificuldade. Por isto seu desejo foi atendido.
- Meu nome é Patrícia, moro na Casa Hoffman e ensinarei a coreografia inteira para você. Basta você me imitar agora, que amanhã você saberá todos os passos de cor.
Deste jeito, Débora obedeceu ao fantasma.
Na manhã seguinte, ela acordou sabendo toda a coreografia. Naquele mesmo dia, ao chegar à Casa Hoffman, ela viu que havia uma exposição de fotos com bailarinas. Assim ela comentou com a moça que estava montando a exposição:
- Esta é uma exposição com fotos de bailarinas?
A jovem respondeu:
- Sim, é uma exposição de dançarinas que já faleceram. Mas que não foram muito famosas.
Então Débora viu que em uma das fotos estava a bailarina que apareceu em seu sonho. Deste jeito, ela perguntou para a moça que estava montando a exposição:
- Você sabe o nome desta bailarina?
A jovem respondeu:
- Ela se chamava Patrícia.
Reza a lenda que o fantasma da bailarina Patrícia aparece no Largo da Ordem sempre nas noites de Lua Cheia e que ela gosta de ajudar as estudantes de dança que precisam de auxílio.
Luciana do Rocio Mallon




Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui