Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
87 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55218 )
Cartas ( 21066)
Contos (12156)
Cordel (9589)
Crônicas (21293)
Discursos (3112)
Ensaios - (9914)
Erótico (13140)
Frases (40122)
Humor (17564)
Infantil (3566)
Infanto Juvenil (2310)
Letras de Música (5416)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135847)
Redação (2879)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4226)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->Lenda do Túmulo do Gato Bóris -- 16/07/2017 - 13:26 (Luciana do Rocio Mallon) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Lenda do Túmulo do Gato Bóris
O Gato Bóris é mais um causo urbano de Curitiba, pois se trata de um felino negro que morava dentro de um sebo, livraria de livros usados, e que passeava pelo Largo da Ordem. Reza a lenda que este bichano virava homem nas noites de Lua Cheia e andava pelos bares, ao redor, com o objetivo de namorar mulheres.
Dia 17 de fevereiro de 2016, Bóris estava caminhando pelo seu bairro. Quando, de repente foi atacado por um cachorro e resolveu se esconder no estacionamento, localizado ao lado do sebo e atrás da loja de artigos indianos, onde faleceu do coração por causa do susto. Então o dono da loja de artigos indianos enterrou o animal num pedaço de terra, aos fundos do estacionamento, onde no muro estava escrito a palavra: Dinâmico, que é um nome de um cursinho do Largo da Ordem. Mas também significa tudo o que o gato Bóris foi: dinâmico. Pois, este felino participou de filmes, trabalhou na livraria encantando a todos e até foi vítima de um sequestro com um final feliz. Além disto, o dono da loja de artigos indianos colocou um vaso com flores em cima do túmulo do animal. Hoje o vaso encontra-se quebrado. Porém, algumas pessoas falaram que o vaso se quebrou quando o fantasma do gato saiu do túmulo para passear no Largo da Ordem. O rapaz, que é dono da loja de artigos indianos, disse que nas noites de Lua Cheia escuta os miados de Bóris e seus passos no telhado. Este moço, também, pretende enfeitar e pintar o túmulo deste bicho que, com certeza, será uma eterna Lenda Urbana de Curitiba.
Luciana do Rocio Mallon


Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui