Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
87 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55049 )
Cartas ( 21061)
Contos (12130)
Cordel (9564)
Crônicas (21226)
Discursos (3108)
Ensaios - (9913)
Erótico (13135)
Frases (39978)
Humor (17551)
Infantil (3562)
Infanto Juvenil (2309)
Letras de Música (5414)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135726)
Redação (2875)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2374)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4205)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->EM OUTRA MANHÃ DE FORMAÇÃO -- 13/11/2007 - 14:32 (Paccelli José Maracci Zahler) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
EM OUTRA MANHÃ DE FORMAÇÃO

Paccelli José Maracci Zahler

Creio que foi nas aulas do Prof. Guido que as ‘manhãs de formação’ foram transformadas em apresentações de tema livre dos alunos, como uma forma de prepará-los para o futuro profissional, onde teriam que apresentar trabalhos técnicos.
As apresentações poderiam ser individuais ou em grupo e tínhamos à disposição epidiascópios (que ninguém mais sabe o que é) e retro-projetores (hoje substituídos pelo Power Point).
Na maioria das vezes, as minhas apresentações eram individuais porque eu precisava de momentos de concentração e inspiração para decidir sobre o tema a ser apresentado.
Eu tinha necessidade de visualizar mentalmente a ordem da apresentação e como ela seria feita, o que dificilmente seria possível trabalhando em grupo.
Minhas primeiras apresentações foram sobre biografias de grandes vultos da História, como Napoleão, Winston Churchill, Rui Barbosa, Aleijadinho.
Lembro-me da apresentação sobre o Aleijadinho, onde mostrei fotos de Congonhas do Campo, MG, no epidiascópio e uma miniatura de uma das estátuas dos profetas esculpidas pelo artista em pedra-sabão e trazida por minha família de Minas Gerais.
Eu me lembro que a audiência não estava muito interessada ao que eu estava falando e eu fiquei um pouco chateado. Era como se eu estivesse “apenas cumprindo tabela”, como se diz no futebol.
Fiquei matutando uma forma de reverter a situação e preparei uma apresentação sobre as missões espaciais Gemini e Apolo, da NASA, com apresentação de fotos da Terra vista do espaço que, na época, não eram tão comuns e eu as havia conseguido em uma publicação especial das Seleções do Reader’s Digest. Percebi que a audiência havia melhorado e suscitado perguntas.
Minha apresentação seguinte versou sobre os Objetos Voadores Não-Identificados, os OVNI’s.
Para minha felicidade, tive a atenção total da turma, que não desgrudava os olhos da tela de projeção à medida que eu ia desvendando o fenômeno.
O Prof. Guido fez algumas intervenções e houve até um pequeno debate a respeito, interrompido pela campainha anunciando o final da aula.
Eu me lembro que a apresentação gerou comentários por muito tempo. Tanto que, quando o Prof. Osni veio nos dar aulas em substituição a um professor que estava de licença médica, acabou ganhando o simpático apelido de O.S.N.I., ou seja, Objeto Salesiano Não-Identificado.

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 29Exibido 552 vezesFale com o autor