Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
127 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56257 )
Cartas ( 21115)
Contos (12465)
Cordel (9814)
Crônicas (21743)
Discursos (3121)
Ensaios - (9965)
Erótico (13194)
Frases (41312)
Humor (17661)
Infantil (3601)
Infanto Juvenil (2327)
Letras de Música (5443)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (136794)
Redação (2885)
Roteiro de Filme ou Novela (1048)
Teses / Monologos (2379)
Textos Jurídicos (1916)
Textos Religiosos/Sermões (4466)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Lembranças -- 14/11/2007 - 11:55 (maria da graça almeida) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Lembranças
maria da graça almeida

Hoje acordei saudade. O peito inflado, as lembranças desfilando nítidas, coloridas.
Revi o brilho dos meus sapatinhos de verniz, concorrendo com a luminosidade das jabuticabas maduras, que me enchiam a boca d’água. Delas me fartava, até ouvir a preocupação de minha mãe: vai ter dor de barriga, heim!
O maior encantamento vinha mesmo do caramanchão verde, com seu antigo balanço de cadeiras largas e confortáveis , uma diante da outra que iam de lá para cá, daqui para lá, sob os gemidos dos ferros que as sustentavam.
Da casa, lembro-me de tudo, do filtro alto, da banheira branca com o fundo enferrujado em volta do ralo; da textura do divã que se dispunha debaixo de uma série de janelinhas que me reportavam às de um trem.
Lembro-me das delícias que nos oferecia vó Joaquina- assim eu chamava a dona da casa, apesar de não ser minha avó verdadeira-. Eram pastéis quentinhos, bolos, bolinhos de chuva, quindins, biscoitos que derretiam na língua...e o refresco gelado servido na varanda da frente, onde a algazarra das crianças obrigava o adulto a falar cada vez mais alto. E ali se ficava, sem pressa, até o escurecer, quando retornávamos à fazenda...
Para casa eu partia cansada , sonolenta, feliz e com a memória cheia de um domingo que fora deliciosamente saboreado por todos os órgãos dos sentidos.
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui