Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
85 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55236 )
Cartas ( 21066)
Contos (12158)
Cordel (9594)
Crônicas (21296)
Discursos (3112)
Ensaios - (9914)
Erótico (13140)
Frases (40131)
Humor (17566)
Infantil (3567)
Infanto Juvenil (2310)
Letras de Música (5416)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135866)
Redação (2879)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4226)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->VIDA DE CASADO - A DOR DE BARRIGA -- 21/10/2017 - 07:53 (ALEXANDRE MOTTA JUSTO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
ATENÇÃO: ESSE TEXTO CONTÉM DIVERSOS PALAVRÕES. SE VOCÊ NÃO GOSTA DE TEXTOS COM ESSE TIPO DE LINGUAGEM NÃO O LEIA.


Imagina uma situação ruim envolvendo um homem e uma mulher que vão receber em sua casa dois novos casais de amigos, um banho interrompido, uma buceta não depilada ensaboada e um peido que não deu certo. É catastrófico, não é? Pois foi o que aconteceu com o Amarildo e a Florinda.





Um dos atos fisiológicos humanos mais perigosos da vida é peidar com força. Eu me refiro àquele peido que não quer sair na educação e você é obrigado a forçar a sua saída. Agora eu pergunto: se o peido não queria sair na paz porque criar um conflito com ele? Muito embora a probabilidade de se cagar todo seja pequena, os prejuízos morais decorrentes de se borrar em público são impossíveis de se mensurar. Em casa, dependendo da situação, pode ser um desastre.





- Flô, pelo amor de Deus abre a porta.


- Eu tô no banho Amarildo, o pessoal já vai chegar. Não da pra esperar não?


- Não, porra! Eu já tava arrumado fui forçar um peido e me caguei.


- Amarildo, abre a porta, manda eles entrarem e ficarem a vontade, disfarça e quando eu sair do banho você se limpa.


- Disfarçar? Disfarçar? Florzinha, você não entendeu: eu tô todo cagado!!! Tá escorrendo pelas pernas. Abre a porta em nome da Santíssima Trindade! Eles já estão chegando!!!!





Existem basicamente três formas de se cagar. As demais são variações de uma dessas três.





A primeira foi exatamente a que aconteceu com o Amarildo. O peido está incomodando, você faz uma forcinha, ele resiste, você não admite essa resistência, afinal você é um homem e ele um simples peido, faz força, o peido sai e com ele um monte de merda.





A segunda forma é a boa e velha diarréia: a bosta lamacenta quer sair de qualquer jeito, você fecha o cu com todas as forças que lhe restam mas não adianta. Em geral o peido é só um coadjuvante que aparece no final. Sua participação tem a finalidade de te humilhar mais ainda. Por isso mesmo ele é da espécie "fiu" e com ele ainda sai um restinho de cocô.





E a terceira é a simples vontade de cagar. Não tem peido, não tem sopa de bosta. É só o cocô puro e simples querendo sair no momento errado. O procedimento é idêntico ao anterior: você fecha o cu com todas as suas forças mas é vencido pela força contrária que o charuto imprime contra o seu cu. Lembra um pouco os guerreiros antigos que jogavam uma tora de madeira várias vezes contra o portão do castelo inimigo. Às vezes sai um peidinho pra fechar com chave de ouro.





Voltando ao Amarildo. Convencida, Florinda abriu a porta do banheiro enrolada na toalha. Amarildo entrou no box e começou a tirar as calças.


- Puta que pa...caralho Amarildo! Quantos joules você imprimiu no seu cu pra cuspir essa merda toda? Nãããooooo! Não joga as calças no cesto de rou...caralho! Até as meias! Amarildo, isso é merda dentro do seus sapatos? Amarildo em nome de Deus, porque você não respeitou a vontade do peido de ficar dentro de você?


- Florinda, você pode parar de falar e me ajudar a tirar a roupa?


- Deve ter subido merda na tua cabeça se você acha que eu vou mexer nessas roupas todas cagadas. E anda logo que eu quero terminar o meu banho antes que eles cheguem.


- Florinda, a coisa aqui vai ser demorada. Não é só jogar uma aguinha no cu não. Acho melhor você receber eles.


- Ah, eu receber os quatro desse jeito? Enrolada em uma toalha de rosto com a buceta peluda cheia de espuma? Amarildo, olha isso aqui! Minha xoxota tá parecendo um carro preto num lava a jato na hora da espuma!


- O que é pior, Florinda? Sua buceta ensaboada ou meu cu todo cagado?





Foi nessa hora que a campainha tocou. Desespero. Eles chegaram. E agora?


- Florinda, em nome de Jesus, bota um short, abre a porta, manda eles sentarem e pede licença.


- Amarildo eu não vou fazer isso. Vou mandar o Pedrinho atender. Pedrinhôôô! Filho, vem cá.


O garoto de seis anos saiu do quarto:


- Hã?


- Olha filho: os amigos da mamãe já chegaram, mas mamãe e papai tão com um probleminha aqui e não podem atender a porta. Você faz o seguinte: abre a porta, manda eles entrarem, se sentarem e diz que nós já estamos indo. Tá bom?


-Hã hã.





O garoto foi até a sala e abriu a porta. Uma das mulheres sorriu e disse:


-Você deve ser o Pedrinho! Acertei?


- Hã hã.


-...


- Olha, minha mãe mandou eu abrir a porta e mandar vocês entrarem, mas é melhor vocês irem embora porque tá um cheiro de merda da porra no apartamento todo. Até o meu quarto tá fedendo ao cocô do meu pai.





Crianças...às vezes são piores do que uma caganeira.





Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 2Exibido 31 vezesFale com o autor