Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
87 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55236 )
Cartas ( 21066)
Contos (12158)
Cordel (9594)
Crônicas (21296)
Discursos (3112)
Ensaios - (9914)
Erótico (13140)
Frases (40131)
Humor (17566)
Infantil (3567)
Infanto Juvenil (2310)
Letras de Música (5416)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135866)
Redação (2879)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4226)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->VIDA DE CASADO - A DIVISÃO DA CAMA - PARTE II -- 23/10/2017 - 08:13 (ALEXANDRE MOTTA JUSTO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Humilhação. A mais pura e cruel humilhação. Daquelas que você só sente quando na noite de Natal seu tio bêbado conta o que você e seu primo Lucas faziam no mato quando eram adolescentes lá no interior de Goiás. Seu primo Lucas hoje se chama Sheila.

Foi o que Carlos Alberto sentiu naquela noite, apesar de ter voltado a dormir, roncar e soltar os gases noturnos de praxe.

Por falar em gases noturnos fique sabendo que somente os silenciosos são autênticos. Os barulhentos são forjados, isto é, a pessoa está acordada e finge que está dormindo para peidar.

- Henrique, essa noite você soltou três peidos insuportáveis! Tive que sair da cama e me trancar no banheiro!

- Mas amor, eu não tenho culpa, eu estava dormindo!

- Dormindo uma ova, Henrique! Os peidos foram barulhentos! Parecia um javali sendo atingido por uma lança de um selvagem. E sabe o que isso significa? Que você fingiu que dormia para peidar e depois alegar inocência. Seu álibi caiu!

Então fica a dica: o peido noturno sincero é o silencioso. O peido alto é um peido de um canalha que está acordado e finge estar dormindo para depois dizer: “Desculpa amorzinho, mas eu tava dormindo e saiu”. Mulheres também fazem isso.

Voltando ao Carlos Alberto e à Maria Beatriz.

Maria Beatriz acordou com a alma lavada, afinal de contas botou para fora o que estava entalado há anos. Dormiu como um anjo e nem ouviu os peidos do marido nas vezes em que ele acordava sobressaltado e falava para si mesmo: “Porco ?”, “Mastodonte?”.

Mas no dia seguinte Carlos Alberto se olhou no espelho e teve que admitir que estava muito, muito exageradamente acima do peso indicado para um elefante de circo. Nunca vá à um circo que tenha animais.

E foi além! Inspecionou a cama e teve que admitir que o colchão realmente estava afundado do seu lado. Então, humilhado, porém convencido, tomou uma importante decisão: iria emagrecer!

Tomou um banho, suou para vestir a cueca, tomou outro banho e desistiu da cueca, colocou um daqueles shorts tamanho 58 com uma cueca que não serve para nada no caso de um peido acidental em que o sujeito se caga, esticou a camiseta o máximo que pode e foi para a melhor academia do bairro.

Assim que chegou na academia falou com convicção:

- Quero me matricular!

- Trouxe atestado médico?

- Não - disse sem graça.

- Não tem problema. Você tem 30 dias para trazer.

Carlos Alberto se apaixonou pela recepcionista, mas decidiu emagrecer antes de conquista-la.

Eu tenho a impressão que as academias nos dão um prazo de trinta dias para levar o atestado médico porque sabem que a gente não vai ficar mais do que isso na academia. Então pelo menos eles faturam a matrícula, a primeira e única mensalidade, a avaliação, a consulta com a nutricionista (profissional para quem mais mentimos na vida: “como só uma fatia de pizza Marguerita”) e a personal trainer com um abdômen inacreditável e uma bunda que você jura que tem vida própria.

Carlos Alberto se apaixonou pela avaliadora mas sua esperança de fazer com que essa paixão fosse correspondida foi por água abaixo quando ela pediu que ele tirasse a camisa e ele percebeu um discreto sorriso de escárnio no rosto da moça. Nunca se apaixone pela moça da avaliação, pois ela vê todos os seu defeitos adiposos e essas imagens nunca vão sair da cabeça dela (ou dele). Você não tem chances. Esqueça. Foque na moça ou no rapaz da recepção.

Próximo passo: nutricionista. Não era obrigatório, mas a moça era linda e Carlos Alberto, bem, vocês já sabem.

- Me diga, como é a sua alimentação? - perguntou a moça ruiva com um sorriso hipnotizante.

Começaram as mentiras. Porque a gente mente para as nutricionistas? A gente acredita mesmo que ela vai acreditar que nosso café da manhã é uma fruta e uma torrada integral com cottage?

- Bom, no café da manhã uma fruta e uma torradinha com um queijo cottage ou uma ricota (quatro ou cinco pães franceses com queijo prato daqueles bem amarelos e presunto, ovomaltine com leite líquido engrossado com leite em pó, ovos mexidos com salsichas, pão doce e sonhos recheados com doce de leite).

- E no almoço?

Mais mentiras.

- Jantar?

Mentiras deslavadas.

Canalha!

Com a promessa de que o programa alimentar seria enviado por e-mail chegou a hora de malhar de verdade, de mostrar que Determinação é o seu nome, que em um mês seria um daqueles saradões da praia! Mas não havia nenhuma professora gostosona disponível e ele teria que malhar com um negão de dois metros de altura. Além do mais já estava com fome porque no café da manhã de hoje não tinha leite e ele teve que misturar o leite em pó na água.

Ah, quer saber? Vou começar amanhã. Amanhã não, quando a nutricionista mandar o programa alimentar.










Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 2Exibido 39 vezesFale com o autor