Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
115 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56600 )
Cartas ( 21127)
Contos (12498)
Cordel (9854)
Crônicas (21849)
Discursos (3121)
Ensaios - (9994)
Erótico (13199)
Frases (41604)
Humor (17727)
Infantil (3604)
Infanto Juvenil (2328)
Letras de Música (5448)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (137016)
Redação (2886)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4495)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->Lenda da Professora Que Jogou o Celular Por Cima do Portão C -- 06/07/2018 - 12:54 (Luciana do Rocio Mallon) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Lenda da Professora Que Jogou o Celular, Por Cima de um Portão Cheio de Cães, Para Não Ser Roubada
Maria é uma professora trabalhadora que levanta cedo todos os dias para dar aulas num bairro humilde de Curitiba.
Numa manhã, ela estava indo para a escola quando, de repente, notou que um rapaz suspeito corria em sua direção. Então ela tirou o celular de sua sacola, cheia de cadernos de alunos, e jogou por cima de um portão com grades altas onde existiam três cachorros enormes no jardim: um pit bull, um rotewiller e um pastor-alemão.
Assim Maria falou para o ladrão:
- Como você viu, joguei o celular para os cachorros do outro lado do portão. Agora só estou com a sacola repleta de cadernos corrigidos de alunos. Mas isto você não roubará porque marginal não gosta de estudar e muito menos de ler.
O ladrão ficou com raiva e deu três tapas na professora no meio da calçada.
Naquele momento, passou um fusca azul, que parou e seu proprietário gritou:
- Pare de agredir a senhora!
Deste jeito o meliante saiu correndo.
O motorista do fusca azul desceu do carro e perguntou:
- Dona, você está bem?
Maria explicou:
- Sim. Na verdade, o marginal tentou me assaltar. Mas antes joguei meu celular do outro lado deste portão cheio de cachorros. Por coincidência seu fusca é azul e me lembrei daquela brincadeira onde eu apanhava toda a vez que via um carro destes.
Naquele mesmo instante, o pastor-alemão sentou em cima do celular.
Maria apertou a campainha. Desta maneira um idoso, de pijama, apareceu. Assim a professora falou:
- Bom dia!
- Um bandido me abordou. Porém antes do assalto, joguei meu celular para dentro do seu portão. Mas agora o pastor-alemão sentou em cima do meu telefone...
O ancião explicou:
- Pior é que está na hora dele fazer fezes...
- Porém irei conversar com o animal:
- Rex, sai daí!
- Por favor, Rex!
- Se você sair de cima do telefone, prometo que deixo você defecar na minha roseira preferida.
Então o cachorro saiu e foi defecar debaixo da roseira do jardim.
Deste jeito o dono da casa devolveu o aparelho, com cheiro de peido de cachorro, para a professora.
Moral da história: Mais vale um telefone com cheiro de peido de cão do que um celular roubado nas mãos de um ladrão.
Luciana do Rocio Mallon



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui