Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
126 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56836 )
Cartas ( 21161)
Contos (12584)
Cordel (10014)
Crônicas (22154)
Discursos (3133)
Ensaios - (8956)
Erótico (13388)
Frases (43357)
Humor (18384)
Infantil (3751)
Infanto Juvenil (2630)
Letras de Música (5464)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (138035)
Redação (2918)
Roteiro de Filme ou Novela (1053)
Teses / Monologos (2394)
Textos Jurídicos (1923)
Textos Religiosos/Sermões (4771)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->O lobisomem de Montes Claros -- 04/12/2018 - 12:02 (Adalberto Antonio de Lima) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos











O distrito de Santa Rosa de Lima, é  uma região de terras férteis e muitos recursos hídricos. Foi lá  que nos anos cinquenta se deu um fato que mudou a história da família  Brito. Segundo informação prestada por Dona Rita, havia ali nas redondezas um homem de pele amarelada e olhos vermelhos como fogo. Era Augusto Miroró.

Dizem que nas noites de  lua cheia o Miroró virava lobisomem e atormentava os moradores do distrito montesclarense.

Naqueles idos, o  menino José tinha três anos e ainda não era batizado...

  Conta-se que o lobisomem lambeu o pé do menino, deixando a família em polvorosa. O Brito pai, não pensou duas vezes, vendeu o pequeno sítio, alguns  semoventes  e mudou-se para Montes Claros, viajando  a pé muitas léguas.

 Por lá batizaram o Zezinho e só voltaram à Santa Rosa de Lima, a passeio , e só depois que morreu Augusto Miroró.

Consultado, o menino Brito,  hoje já velho, não confirma a história em sua totalidade, mas deixa uma reticência: " O povo conta que o Miroró virava lobisogem."

Quando narramos este episódio, ainda podiámos desfrutar da presença física de meu amigo Brito, funcionário da CEMIG. Hoje, ele está no paraíso. E não creio que tenha mais  medo de Agusto Miroró, mas que antes ele teve, teve.








Adalberto Lima






Enviado por Adalberto Lima em 04/12/2018

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 42 vezesFale com o autor