Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
43 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55469 )
Cartas ( 21080)
Contos (12181)
Cordel (9619)
Crônicas (21389)
Discursos (3114)
Ensaios - (9921)
Erótico (13151)
Frases (40423)
Humor (17575)
Infantil (3578)
Infanto Juvenil (2317)
Letras de Música (5425)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (136085)
Redação (2881)
Roteiro de Filme ou Novela (1040)
Teses / Monologos (2376)
Textos Jurídicos (1909)
Textos Religiosos/Sermões (4250)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cartas-->67 -- 21/01/2005 - 04:00 (Poeta Maldito) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Por que chora nesta sinfonia?
Será que chora de alegria?
Será que é tonto seu coração?
Serão lágrimas ou suor de sua depressão?
Por que pranteia o rosto?
Se é tão pura a alma?
Será tão aguda sua dor?
A quem vai o seu clamor?

É limite de uma sede.
É ranço mal tratado.
A alma não verte
Neste rosto molhado.
Cintila meu corpo
Desejo impiedoso
Atravessa meu verso
Incendeia meus olhos
Que a luz neles é fraca a brilhar.
A vida me foge
Sem esperar.
Não espere que eu cante,
Sem soluçar.
Não espere que eu vingue,
Sem fraquejar.
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui