Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
125 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56713 )
Cartas ( 21128)
Contos (12517)
Cordel (9864)
Crônicas (21893)
Discursos (3121)
Ensaios - (10001)
Erótico (13200)
Frases (41707)
Humor (17749)
Infantil (3605)
Infanto Juvenil (2334)
Letras de Música (5448)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (137075)
Redação (2886)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4520)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Humor-->A Mulher e a seleção: as paixões nacionais -- 18/08/2006 - 10:47 (João Rios Mendes) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
O Brasil esteve na Copa do Mundo de Futebol na Alemanha e vestiu-se inteiro vestido de verde e amarelo. Nessa época, homens, mulheres e crianças foram acometidos de grande fervor e paixão pela bandeira nacional. Mas, além do futebol, também existe outra paixão nacional: a mulher.

O que o futebol e a mulher representam para o brasileiro? No caso do futebol, em particular da seleção brasileira, a derrota do escrete canarinho traz ao homem - mais a ele do que à mulher - enorme tristeza e desânimo. E quem pode tirar o homem do marasmo se não “elas”? Quando falo aqui da mulher não quero vulgarizar o sexo feminino. Pelo contrário, procuro ressaltar a importância dela para o engrandecimento espiritual e financeiro do homem.

Quando a seleção vence, a alma do brasileiro se enche de orgulho e chega-se a esquecer os grandes problemas nacionais. Semelhante entusiasmo somente quando o amor entra em campo e o homem vence a solidão. Os deuses do futebol e o cupido, com sua flecha certeira, formam um time imbatível. Foi esse time que levaram a Neblina e o Márcio ao altar em plena copa do mundo. Ele garante que sacramentou a lua-de-mel na hora do jogo.

O que fica depois da copa? Durante os noventa minutos do jogo os nervos do torcedor estão concentrados vibrando pela vitória brasileira. Nem mesmo nos quinze minutos de intervalo ele relaxa e sai de campo, é mais um jogador. Mas quando o jogo acaba o que fica é a alegria dos vitoriosos ou o choro dos derrotados. Quem realmente fica, independentemente do resultado, é a mulher. Ela não dá alegria só a cada quatro anos, ela está presente em todos os quatro anos enquanto o homem espera a próxima copa.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 18Exibido 1970 vezesFale com o autor