Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
29 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56722 )
Cartas ( 21160)
Contos (12582)
Cordel (10005)
Crônicas (22134)
Discursos (3130)
Ensaios - (8935)
Erótico (13377)
Frases (43194)
Humor (18334)
Infantil (3739)
Infanto Juvenil (2596)
Letras de Música (5463)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137947)
Redação (2915)
Roteiro de Filme ou Novela (1054)
Teses / Monologos (2386)
Textos Jurídicos (1922)
Textos Religiosos/Sermões (4723)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cartas-->Incertezas -- 05/02/2007 - 02:36 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


INCERTEZAS
Porque à luz das incertezas que me mostra esta lâmpada, como insetos de asas brilhantes meus pensamentos me cutucam.
Eu não me importo se tu mudas de endereço, não me avisas, te desfazes entre os outros e me esqueces por uns dias.
Não me importo que me deixes.
Mas não suporto o olhar distante. Sem encontro. Sem mistério e sem segredo compartido no meu mundo.
Quero ver que estou contigo : quando estou.
Não me fales de tua falta, porque nela, eu te encontro.
Não me digas de tua ausência com pessoas que não vejo, não conheço, não percebo. Porque delas eu não penso. Penso em ti, teu pouco caso. E no abraço quando é longo e acariciamos um ao outro. Ou no beijo. Ou no olhar quando chegamos.

Não pretendo coisas físicas, objetos e papéis. Eu apenas quero o lado - do teu ser - que nunca destes. Que somente eu conheço, me pertence porque o acho - onde quer que tu te escondas.
Quando tu me conhecestes – me destes algo em ti. E assim moro, no teu peito. Quando eu saia, deixo aberto.
Quando não haja mais brilho desses teus olhos profundos, e quando assim, sem mistérios, concordes sempre- e já não importe- o que me destes.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 1479 vezesFale com o autor