Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
99 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54717 )
Cartas ( 21051)
Contos (12071)
Cordel (9440)
Crônicas (21012)
Discursos (3106)
Ensaios - (9890)
Erótico (13106)
Frases (39732)
Humor (17538)
Infantil (3557)
Infanto Juvenil (2306)
Letras de Música (5410)
Peça de Teatro (1309)
Poesias (135400)
Redação (2862)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2371)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4159)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cartas-->VINÇANÇA É UM PRATO QUE SE COME FRIO -- 03/01/2008 - 03:29 (ANGELA FARIA DE PAULA LIMA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

VINGANÇA É UM PRATO QUE SE COME FRIO

Queridinho,


É... Você deu-me uma bela esnobada... Será que é essa a palavra mesmo?

Fico daqui fazendo um replay e pensando em tudo o que aconteceu. E remôo lembranças, revolvo entulhos, tento achar o fio da meada, mas a história é muito louca para tentar colocar a mínima ordem...

Mas sou assim mesmo! Quanto mais complexo, mais me ocupo em pensar... Gosto sabe? Gosto de desafios, enigmas, palíndromos da vida... É!... É isso mesmo!...Você conseguiu fazer aparentemente o impossível! Fazer a vida virar um palíndromo.

Como é que é? Você nem sabe o que é isso? Pois por vingança, procura no dicionário. E quebre a cabeça, você!

Pensou que seria auto-suficiente, não pensou? Já viu que não é.
Deixou-me aí plantada dias a fio, a ouvir-lhe as mágoas, a fazer-lhe companhia, a corrigir seus textos, a desvendar seus contextos, ensinar a deslindar caminhos, serenar a alma e achar a paz.

Pensou que achou? Acho até graça... A lição era muito maior.
Perdeu a melhor parte dela. Pensou que já sabia tudo, chutou o balde, e sem uma culpa sequer, deu por bem usado o que aprendeu.

Mas esqueceu-se da história da onça e do gato. Ensinei tudo, menos o pulo que daria no caso de você querer me eliminar.

E é aí que reside a minha vingança. Não me eliminou, não aprendeu tudo, e terá de amargar a lição e a lembrança. Permanecerei sempre presente em sua mente, como a única pessoa que pode lhe dar o resto do caminho... E se enredará nele.
Sabe por quê? Porque perdeu a chance de ter a quem recorrer.

Ou acha que ao estalar os dedinhos me terá de volta?
Já fui, menininho! Já estou longe!...Bem mais longe do que o lugar onde deve estar aí escondido.

E fico de lá, esperando que nem felina, para ver o que a vida vai fazer de você...

Você não me deu tempo de explicar o mais importante. Que o que lhe ensinei, não serve para ser levado para esse seu mundinho decrépito do “showçaite”... Isso mesmo show... Teria primeiro que aprender a ser normal, mesmo porque o glamour já acabou e aqueles tempos não retornam mais... Já era meu bem...

Lembra quando me disse que essa tal de alta sociedade, na verdade era mesmo podre? Que nada nela prestava, que a “suruba” era geral, tudo jogo de interesses?

Pois é, meu queridinho... O que lhe ensinei só funciona em ambiente limpo, de quem joga com a sinceridade. Quero ver o que vai fazer depois que mudei sua ótica! Não estará mais lá, e ainda não chegou aqui.

Podem até pensar que, ao lhe escrever essa carta, estarei dando-lhe a dica de graça.... Mas aí é que reside a vingança, maquiavelicamente imaginada por mim.

E solto minha tremenda risada!

E alguém imagina que eu vou enviá-la a você?
Nunca, meu bem.... Por pura vingança!
Vai me pagar bonitinho. Com juros e correção!

Boa sorte, guri!
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 61Exibido 1446 vezesFale com o autor