Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
85 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56429 )
Cartas ( 21156)
Contos (12574)
Cordel (9960)
Crônicas (22082)
Discursos (3130)
Ensaios - (8872)
Erótico (13328)
Frases (42865)
Humor (18224)
Infantil (3700)
Infanto Juvenil (2514)
Letras de Música (5461)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137725)
Redação (2905)
Roteiro de Filme ou Novela (1051)
Teses / Monologos (2384)
Textos Jurídicos (1918)
Textos Religiosos/Sermões (4611)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->LINGUAGENS GALÁTICAS -- 25/11/2001 - 20:11 (João Ferreira) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos




LINGUAGENS GALÁTICAS





Jan Muá

25 de novembro de 2001







No sítio de Apolo há raízes sólidas

Plantadas e coloridas

Fincadas em húmus de lei



Ventos de brisa sopram movimento animado

De vida essencial

Em tempos e lugares



No cimo do morro penachos cadentes

Estrelam horizontes precários

Desenhados em formas distantes



Muito perto há lotes demarcados

Firmes em chão granítico

De esteiras de macadame



Na terra vermelha bambuzais em feixe

Ostentam caules e cobras em mistura

Com jacas garbosas empenachadas



Na casa de Apolo olhos criam

Formas vivas e copas pujantes

Viviscentes no painel do gosto



Visíveis as sombras das pessoas na sala

Sobrevoando formas verdes

Nos espaços geométricos das luzes



No reflexo da apolínea lâmpada

Circulam pensamentos de heróis

Divinas imagens de batalhas de amor



No fumo do incenso perfumado

Movem-se velhas promessas azuis

Deslizando pelos esquis do sonho além do lago



Cromos do nobre mundo galático

Inovam os sensores de secretas energias

No plano dos reflexos de meu divino espelho.







Jan Muá

Brasília, 25 de maio de 1995/ 25 Novembro dee 2001

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 73Exibido 711 vezesFale com o autor