Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
73 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54597 )
Cartas ( 21042)
Contos (12049)
Cordel (9418)
Crônicas (20968)
Discursos (3104)
Ensaios - (9880)
Erótico (13102)
Frases (39638)
Humor (17532)
Infantil (3554)
Infanto Juvenil (2304)
Letras de Música (5408)
Peça de Teatro (1309)
Poesias (135304)
Redação (2862)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2371)
Textos Jurídicos (1912)
Textos Religiosos/Sermões (4141)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Erótico-->A DEFENESTRADA, (Enedina Bentes) -- 06/11/2011 - 14:10 (Ana Zélia da Silva) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

A DEFENESTRADA.
(Enedina Bentes)

Eu fiquei na torre mais alta
Por mil dias e mil noites
Testemunhando o nascer
E o pôr-do-sol
Mas tu não vieste.

Minhas longas e negras tranças
Penderam ao chão
Esperançosas!
E tu não vinhas...
E tu não chegavas...

Cortei eu mesma as tranças
Com a velha tesoura da gaveta
Pra fazer justiça poética
Queimei as fotos, as cartas, as tranças
Queimei tudo no chão do quarto.

Pra fazer maldade poética
Saltei janela afora
O precipício
Chovi.
Caí como gota cinza e gelada
Noite escura.
Um pesadelo
Dancei sozinha, no éter.
Eu tinha
Lábios azuis e olhos vermelhos
Todos  planetas girando ao meu redor
Transitando.

Pisei em flores caídas ao chão
Pousei.
Coloquei meu coração petrificado
Num vidro com formol
E o coloquei sobre o teu piano
Na tua sala de música
Ao lado das partituras.

Subi as escadas
Enquanto dormias, eu te olhava.
Vaguei algumas horas, ou teriam sido semanas?
Ninguém saberá dizer...
Assombrei e fui assombrada
Depois cansei de vagar
Devagar meus olhos fecharam
Agora sou apenas mais uma pedra
Rolando rio abaixo, sigo assim.
E você não sabe nada,
Você não sabe nada sobre mim.
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Nota- Divulgando os poetas de minha terra,publico a poesia linda da Enedina Bentes, ela que todos os dias nos brinda com pensamentos lindos. Faz o trabalho do vento, espalha coisas boas.
Parabéns poetisa. Manaus, 06 de novembro de 2011. Ana Zélia
 

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 25Exibido 626 vezesFale com o autor