Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
81 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55077 )
Cartas ( 21063)
Contos (12135)
Cordel (9570)
Crônicas (21233)
Discursos (3108)
Ensaios - (9913)
Erótico (13137)
Frases (39997)
Humor (17552)
Infantil (3565)
Infanto Juvenil (2309)
Letras de Música (5414)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135740)
Redação (2875)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2374)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4207)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Lá vem Dois de Julho! -- 01/07/2016 - 08:38 (Marcelo de Oliveira Souza,IWA (marceloosouzasom@hotmail.com) zap 71-992510196) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Dois de Julho

Amanhã será a data Magna da Bahia, onde o Brasil rompeu definitivamente os laços de dependência com Portugal.
As pessoas aos poucos já estão começando a perceber o quão importante foi esse dia de Glória, onde os baianos em todos os seus segmentos sangraram para ver o Brasil íntegro em seu território.
Independentemente desse inexorável contexto histórico, percebemos que a nossa sociedade apesar de toda essa luta no passado, perdeu o rumo pela sua independência, onde as pessoas vivem com medo de sair na rua, com medo de ficar em casa, com medo da própria sombra diante da violência que assola o nosso Estado, os profissionais de saúde, educação e segurança, estão cada dia ganhando menos, em meio a tanto estresse pela falta de segurança física e financeira, em meio a falta de perspectiva de futuro do jovem, pois aqui não temos mais direito a nada, só a lamentar e lembrar que Dois de Julho foi o dia da libertação, dia de sonhar com épocas melhores e depois de tanta luta estamos aprisionados por um feitor pior do que Portugal.
A nossa sociedade está perdendo o rumo, não temos mais direito a nada, somente a lembrar da nossa Data Magna, onde nossos antepassados sonharam no passado e no presente estamos tendo o pesadelo de não preservar os ideais revolucionários de darmos dignidade ao nosso povo para podermos crescer com os direitos básicos de poder sonhar com dias melhores de paz e de tranquilidade e que um dia comemoremos o Dois de Julho com a cabeça erguida como antigamente, com índices de desenvolvimento realmente humanos e não trágicos onde o tráfico, drogas e morte são os novos “ceifadores portugueses” que nos acorrentam o espírito humano do brasileiro.

Marcelo de Oliveira Souza,IWA


Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui