Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
120 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56399 )
Cartas ( 21119)
Contos (12484)
Cordel (9833)
Crônicas (21794)
Discursos (3122)
Ensaios - (9978)
Erótico (13197)
Frases (41439)
Humor (17685)
Infantil (3603)
Infanto Juvenil (2328)
Letras de Música (5445)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (136913)
Redação (2885)
Roteiro de Filme ou Novela (1048)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4474)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cartas-->Aceitacão? -- 07/07/2009 - 09:46 (maria da graça almeida) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Aceitação?
maria da graca almeida

Estou aqui encorujada , aniquilada , envolvida pela covardia, que já é antiga, mas não se mobiliza para deixar-me. A cada tragédia de repercussão emerge-me, com violência, o medo da morte.
Até parece que me amo muito e que me sinto completamente necessária. Não, não é isto, temo por mim e por todos, amigos , parentes, conhecidos ou não. Meu temor é abrangente.
O desconhecido apavora-me, essa coisa de não dominar as rédeas da própria vida faz com que muitos dos meus sonhos , metas ou projetos percam o sentido. Temo os imprevistos, as surpresas...
Aqueles cuja vida é esvaída aos poucos, creio que tenham o tempo necessário para arrumar as malas devagarzinho , o que não deixa de ser, ainda que doloroso, um preparo para a morte. Podem organizar documentos, deixar instruções enfim, bem ou mal prepararam sua bagagem. Aqueles que se vão subitamente, sem fazer as malas, sem despedidas, deixam nos familiares um sentimento de indignação, de susto e perplexidade.
Cada vez menos entendo por que as "desculpas" para morte, são tão diversificadas. O pior é que não há nenhuma regra que se possa aplicar, nem sequer uma dedução, nem ao menos uma possível pista que explique os motivos do desligamento da vida de cada um, através de tão diferentes causas.
Já nascemos condenados, isto é uma verdade absoluta, então por que ainda assim fica difícil a aceitação do inevitável?
Deveria ser mais fácil ou deveria haver um curso que nos preparasse para a traumatizante passagem . E não há curso nenhum. Pelo que eu saiba, somente as religiões tentam fazer com que o homem não se mate de medo antes da hora de morrer, mas os argumentos são tão frágeis, que nem mesmo dentro da religiosidade recebo a força que tanto busco e a compreensão que preciso para prosseguir,de forma menos contundente, a caminhada de única mão: a ida.
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui