Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
71 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54795 )
Cartas ( 21052)
Contos (12085)
Cordel (9481)
Crônicas (21041)
Discursos (3104)
Ensaios - (9893)
Erótico (13117)
Frases (39763)
Humor (17540)
Infantil (3558)
Infanto Juvenil (2307)
Letras de Música (5410)
Peça de Teatro (1309)
Poesias (135497)
Redação (2869)
Roteiro de Filme ou Novela (1034)
Teses / Monologos (2371)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4164)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Os ponteiros do relogio -- 18/03/2017 - 07:57 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Ponteiros cruzando em círculo gente, sol no centro terra, sino nas doze pancadas, matriz Maria do Rosário povo, pé direito alto no vazio do altíssimo mas na fé "nossa" de cada dia, pão a fermentar na padaria São José. Suor alimentando os fungos, mundo das costas trabalha a dor trabalhador. Neurônios alienados no presídio de um sistema Americanalhizado travara o racional moldando o irracional fabricando o humananimal.

Parei, eram doze horas a hora do anjo, de um senhor, sentei na escaldante calçada, cabisbaixo: Ouvi uma voz, quando olhei, um companheiro que tinha pago o que a ele devera, com seu sorriso amarelo na satisfação dá sexta-feita, dissera confiante: "PAPAI do CÉU tá VENDO", confie, agradece a preocupação do credor, saldo zerado, compromisso saldado, crédito aceso, bati o matulão e segui a poeira a barro batido, chão e cão de Santa Cruz...

Adeus a Deus...
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui