Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
93 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54939 )
Cartas ( 21059)
Contos (12120)
Cordel (9541)
Crônicas (21128)
Discursos (3109)
Ensaios - (9910)
Erótico (13133)
Frases (39893)
Humor (17551)
Infantil (3560)
Infanto Juvenil (2308)
Letras de Música (5413)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135641)
Redação (2874)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2374)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4195)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->MUNDO CÃO -- 03/04/2017 - 13:17 (GERMANO CORREIA DA SILVA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


MUNDO CÃO

Jô Formigão anda meio revoltado com tudo isso que o pessoal responsável por conduzir os rumos socioeconômicos do nosso pais está preparando para “organizar” o futuro previdenciário do trabalhador assalariado brasileiro.



Segundo ele, os atuais integrantes da política partidária brasileira estão vivendo um mundo cão e nesse submundo das mudanças que serão implantadas por eles em alguns setores políticos sociais, sobretudo no previdenciário, tendo o povo como alvo principal, se o povo correr o bicho pega, e se ele ficar o bicho come.



Jô Formigão sabe que tal quadro de “incertezas”, visando a um realinhamento da política socioeconômica brasileira”, é muito antigo e, com certeza, não faz parte de uma situação surgida agora, com o objetivo de tirar o sono daqueles que ora têm o condão de conduzir o destino político partidário de nosso país.



Ele também sabe, que em que pese as ingerências dos representantes de governo dos últimos anos, é público e notório que essa prática nefasta de enganar o povo com promessas e falcatruas já vendo sendo “executada” na política partidária brasileira há já muito tempo, desde os tempos do Brasil colonial.



Ele, na condição de homem do povo, sem muitas perspectivas de vida nos dias atuais, diz que, querendo ou não, tudo isso que está acontecendo nas entranhas da política partidária nacional, onde delações e acusações tem sido feitas entre as pessoas que vivem o seu dia a dia por conta dela, tem muito a ver com o enredo de um filme italiano, produzido por Gualtiero Jacoppeti, no ano de 1962, intitulado Mondo Cane (Mundo Cão, na língua portuguesa), cuja trama procura retratar o caráter de obra ou atitude que revele as práticas e atividades mais vis e grosseiras do ser humano, isto é, que denuncie sem retoques (e sem mentiras) aspectos de seu cotidiano atual.



Por conta desse cenário, pouco recomendável para a convivência político social de um homem de bem pátrio, assim como ele, e de outros tantos que têm vivido a maior parte do seu tempo de promessas e de esperança, ele acredita que esse “mundocanismo” político e social brasileiro, que vem sendo desenvolvido a duras penas, “apontando” suspeitos e “punindo” eventuais responsáveis pelos delitos cometidos, não irá muito longe.



Quem viver, verá!



A música Mundo Cão, dos Titãs, banda de rock formada na cidade de São Paulo, em 1982, que reproduzo a seguir, na sua íntegra, retrata com propriedade o que podemos esperar de tudo isso que está acontecendo nas entranhas da política partidária nacional e que certamente deixará muitas marcas inesquecíveis para as partes envolvidas.

"Você pode se iludir
Mas ilusão custa caro
Pode até se divertir
Como um animal adestrado
Você tem direito a ter um advogado
Você pode falar
Mas é melhor ficar calado
A verdade é cruel
Mas é melhor que seja dita
Eu vou cuspir pro céu
Que ao menos me refresca a vista
Você pode pensar o que bem entender
Mas é melhor tomar cuidado
Que alguém pode se ofender

Mundo cão, mundo cão
Não estou vendo nada novo
Mundo cão, todos estão
Com uma coleira no pescoço
Mundo cão, mundo cão
Não estou vendo nada novo
Mundo cão, todos estão
Com uma coleira

Ninguém mandou ficar de quatro
Ninguém mandou
(2x)

Você pode ir em frente
Mas não pode olhar pros lados
Pode até comprar
O que não queria ter comprado
Pode ter razão
mas não pode estar certo
Você pode se mexer
Mas é melhor ficar quieto
A verdade liberta
A verdade é essa
Você pode querer mais
mas tudo tem a dose certa
Pode reclamar
Ninguém tem nada a ver com isso
Pode ler o que quiser
Mas vão queimar todos os livros

Mundo cão, mundo cão
Não estou vendo nada novo
Mundo cão, todos estão
Com uma coleira no pescoço
Mundo cão, mundo cão
Não estou vendo nada novo
Mundo cão, todos estão
Com uma coleira

Ninguém mandou ficar de quatro
Ninguém mandou
(2x)

Você pode gritar
Você pode latir
Pode aguardar na fila, não adianta insistir
Pague os impostos, vá brincar no quintal
Finja de morto, obedeça o sinal
Faça o favor de não falar, faça o favor de se humilhar
Pode esperar a sua vez, não adianta reclamar
Pegue o jornal, compareça à audiência
Leve uma vida normal, ainda role no chão

Mundo cão, mundo cão
Não estou vendo nada novo
Mundo cão, todos estão
Com uma coleira no pescoço
Mundo cão, mundo cão
Não estou vendo nada novo
Mundo cão, todos estão
Com uma coleira

Ninguém mandou ficar de quatro
Ninguém mandou
(4x)"


Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 23Exibido 31 vezesFale com o autor