Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
85 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54852 )
Cartas ( 21056)
Contos (12109)
Cordel (9512)
Crônicas (21087)
Discursos (3105)
Ensaios - (9897)
Erótico (13126)
Frases (39807)
Humor (17549)
Infantil (3558)
Infanto Juvenil (2308)
Letras de Música (5411)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135537)
Redação (2869)
Roteiro de Filme ou Novela (1034)
Teses / Monologos (2371)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4174)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->1637 - Mania! O retorno -- 12/08/2017 - 23:47 (Jairo de A. Costa Jr.) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
1.637 – Mania! O retorno
Lembram-se do meu aviso de que voltaria na próxima, eis-me com o mesmo tema, dando sequência nos sete fatos científicos que vão explodir sua cabeça, uma matéria da Revista Galileu edição duzentos e noventa e cinco.
Dos sete fatos eu já disse de dois, partindo agora para o terceiro – “Seu cérebro sabe o que você vai decidir antes de você mesmo”. É assustador, mas a matéria diz que tudo indica que nós não temos consciência das decisões que nossos cérebros já tomaram. A base disso foi um plebiscito em Vêneto, na Itália, sobre a expansão de uma base militar dos Estados Unidos, quando dois psicólogos aproveitaram a oportunidade para ver se os indecisos estavam mesmo tão indecisos assim e...
Como a explicação da revista está muito confusa, meu cérebro já decidiu que eu devo parar por aqui com esse terceiro fato, deixando vocês sem a menor ideia do que aconteceu, pois eu não entendi lhufas, mas eles garantem que seu cérebro sabe o que vai escolher muito antes de você. Não deve ser o meu caso, pois o meu cérebro anda esquecido, esquecidinho.
Adiante, para o quarto fato – “Um bebê de seis meses já é capaz de identificar um mau-caráter”. Então não apronte na frente dos seus filhos, pois até crianças de apenas seis meses, que tiveram pouco contato com situações de convívio social, já possuem uma notável tendência a preferir gente disposta a ajudar. Três pesquisadores da Universidade de Yale descobriram de uma maneira divertida, apresentando a vários voluntários com meio ano de vida uma peça de teatro de trinta segundos, em que um quadrado vermelho tenta subir uma montanha. Um triângulo amarelo ajuda, mas um círculo azul tenta atrapalhar a difícil escalada. Depois de incontáveis versões da história, os pesquisadores ofereciam o triângulo e o círculo às crianças e oitenta por cento delas optaram pelo triângulo colaborativo.
Duas situações desse estudo não colaram para mim: a primeira é como pode um bebê de seis meses se tornar um voluntário e a segunda é a conclusão dada por eles que o estudo apresentou uma forte evidência de que decisões sociais mais básicas são adaptações evolutivas. Uma conclusão nada a ver com a premissa inicial do bebê ser capaz de identificar um mau-caráter.
O quinto fato – “Mosquitos matam mais pessoas por ano que o próprio ser humano”. Difícil de acreditar, mas é verdade. Os pestinhas não têm dó de ninguém, nem dos doces e bolos que ficam em cima das mesas por aí e alhures. Nem mesmo a espécie humana, uma eficiente assassina de si própria, é capaz de superar a marca de mortes causadas por mosquitos. As doenças transmitidas pelo inseto matam mais de setecentos e vinte mil pessoas anualmente, contra os quatrocentos e setenta e cinco mil humanos mortos por outros humanos. No entanto, a cidade do Rio de Janeiro está na competição querendo ganhar, socorro! Mais dados no blog do Bill Gates.
Se irritem com o sexto fato – “Há grandes chances de que chova diamante em outros planetas do Sistema Solar”. Para quem nunca viu um diamante de perto, a solução pode estar em Saturno ou Júpiter, com boas chances em Netuno e Urano, mas Kevin Baines, da Universidade de Wisconsin-Madison aposta mais em Saturno, o senhor dos anéis. Chato informa-los de que não é uma certeza ainda e que é longe pra dedé...
Por último o sétimo fato – “Há resquícios de bomba atômica no seu corpo e isso é ótimo”, também depois de mais de dois mil testes atômicos realizados pelas grandes potências, durante a Guerra Fria, queriam o que. Irônico é que a herança disso irá contribuir com o conhecimento do nosso corpo e ajudar a salvar vidas. Os nêutrons liberados nas explosões reagiram com a atmosfera e formaram o inofensivo carbono 14, que está em nossos órgãos, como uma régua biológica confiável e neste sábado de doze de oito de dezessete informo também que o carbono 14 serve para determinar a idade de fósseis, meu caso daqui a cem milhões de anos, quando serei chamado de Jairossauro Rex.
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 13Exibido 13 vezesFale com o autor