Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
77 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54950 )
Cartas ( 21059)
Contos (12121)
Cordel (9548)
Crônicas (21140)
Discursos (3109)
Ensaios - (9910)
Erótico (13133)
Frases (39909)
Humor (17551)
Infantil (3560)
Infanto Juvenil (2308)
Letras de Música (5414)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135663)
Redação (2874)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2374)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4197)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Bem vindo setembro -- 01/09/2017 - 00:29 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Setembro


Sete pretendendo ensaiar a vida numa estação primaveril de cores m, versos e prosas. Sustento ao poeta solitário nas infinitas solidões em cada beco, em cada bar em companhia do cão gente que a gente agradece sem nada pedir. Ele passeia nos escritos, nas Dores e nas cores de todas as flores, enaltecendo cada linha, cada dor, cada flor. Faz brilhar a pureza e a vida leve do ser despojado de suas querências, de suas carências e permite sê-lo ousado ao iniciar seu rumo com a determinação dos guerreiros que nunca batem em retirada, salvo pela insensatez de não ser relativo na relatividade extremamente absoluta com que a vida vez em quando golpeia. Nele, a morte não tem acesso posto que é escanteado pelas cores, pelas flores que, com a suavidade das pétalas, dão-lhe um golpe mortal de vida.
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui