Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
78 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55059 )
Cartas ( 21063)
Contos (12133)
Cordel (9565)
Crônicas (21228)
Discursos (3108)
Ensaios - (9913)
Erótico (13135)
Frases (39984)
Humor (17551)
Infantil (3562)
Infanto Juvenil (2309)
Letras de Música (5414)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135729)
Redação (2875)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2374)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4205)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Erótico-->DELICIOSA INVESTIGAÇÃO (JUVENAL) -- 28/07/2017 - 14:18 (valentina fraga) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Adorei os novos escritos de Juvenal! Muito obrigado!








Cheguei perto de você fardado e disse:


_ tenho a impressão que você tem jóias escondidas, terei de revista-la!


te levo a um quarto e...


sem cerimonia...


começo a revista, pela orelha


tenho faro apurado e a língua mais sensível que de um cão


depois de te cheirar....


nuca, pescoço e orelha


passo a língua por detrás da orelha e


aproveitando a corrente sanguínea


desço pelo pescoço e na dúvida de algo escondido...


mordo a nuca


noto de suspeito, apenas um enorme crispamento,


sem perda de tempo, mas não deixando de continuar observando a reação anterior


tiro tua blusa e encontro... Cérbero!


hoje vulgarmente chamado de "sutiens",


sem relutar espantei Cérbero dali e como desconfiava, achei!!!!!!


duas gemas de axinite,


cheguei bem perto para análise, fiz o possível para descobrir e arrancar detalhes


cheirei rapidamente, mas quando fui lamber, o fiz com muito cuidado


estava ávido por descobrir mais detalhes daquelas preciosidades,


os medi usando meus lábios, como referência


fiz um bico para medir a circunferência


depois usei os dentes para medir a espessura


e a língua para saber sabor, textura, relevo e...


pq ao passa-la, intumesce....


invisto vários minutos ali,


apenas desconfiei, de vários gemidos


fui descendo, novamente aproveitando a corrente sanguínea,


até encontrar, depois de um pequeno arbusto,


algo parecido com uma ostra


mas diferentemente de uma ostra, não tive muito problema para abrir


com meus dedos abri aquela macia e aveludada borda


havia lá uma pequena pérola rosada


passei meu dedo levemente sobre ela e envolta,


reparei que você mexeu seu corpo,


tinha certeza de que não ia deixar passar com facilidade tal joia


abaixei e assoprei bem de leve


subindo uma fragrância inebriante,


como um cão passei a língua e isso me deixou


atordoado, recuperando-me fiz um bico como um beijo


encostando meus lábios nela,


ouvi um ruido mas, ao invés de sair e olhar, aproveitei a posição do lábio e.....


suguei a pérola, macia mas firme ela entrou em minha boca,


não resisti e fiquei empurrando ela pra fora e pra dentro da minha boca


lembrando um sexo oral masculino,


já lutando contra teu corpo que já revirava-se


reparei que minava daquela ostra um líquido....


minha boca já cheia d`água me levou a ideia....


unirei esses líquidos esperando alguma reação química


deve ter realmente ocorrido algo.....


ao invés de ruídos....escutava gritos abafados


minha língua, já tinha vontade própria, entrava e saía da concha...


a concha por sua vez já não fechava, vazando assim mais líquido


tonto e sem saber mais o que estava fazendo ....


bebia daquele líquido avidamente,


uma sede interminável tomou meu ser...


mas não poderia deixar minha investigação parar...


busquei em meu bolso uma sonda, que sempre carrego comigo


achei por bem saber o quão profunda era aquela fenda


na introdução reparei uma leve pressão,


a sonda parecia um pouco mais larga que a fenda,


as paredes da fenda muito lubrificada foi cedendo


se moldava estranhamente a espessura, sem rudez


e a sonda muito dura, escorregou suavemente ...


mesmo eu forçando a volta da fenda


algo parecia leva-la mais fundo,


aquele líquido que antes eu bebia,


escorria e ajudava a fazer um ruido diferente e quase inaudível...


inclusive...!.. ruido era o que não faltava


até eu já me permitia a grunhir, mesmo sem saber pq vinha


e nesse vai vem, eu já sem forças resolvi ....


largarei uma carga liquida de um visgo branco


que tem dentro da sonda


e ao lançar, saiu de minha garganta um comando, um disparo,


mas não parava de grunhir


a sonda latejava como estive-se com algum problema


inclinando-me encontrei teu rosto


teus lábios vermelhos me convidavam


instintivamente encostei os meus


como um jogo minha língua penetrou teus lábios


meus dentes mordiam teus lábios e língua


tua boca sugava minha língua como se fosse arrancar


eu já nem fazia mais questão dela


queria sentir mais daquilo que tua boca me dava


hoje!!! aquilo que tua boca me deu


hoje!!! apenas
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui