Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
109 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56475 )
Cartas ( 21121)
Contos (12490)
Cordel (9844)
Crônicas (21812)
Discursos (3122)
Ensaios - (9984)
Erótico (13198)
Frases (41506)
Humor (17698)
Infantil (3604)
Infanto Juvenil (2328)
Letras de Música (5448)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (136966)
Redação (2886)
Roteiro de Filme ou Novela (1048)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4479)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Erótico-->SEXO NO CINEMA -- 27/03/2018 - 10:52 (valentina fraga) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Mauro e Valentina resolveram se encontrar num cinema. De preferência para verem um filme adulto e dar asas às suas fantasias, como se fosse preciso.
Marcaram um horário, num cinema distante de suas casas, para as chances de encontrarem conhecidos se tornarem bastante remota.
Já passava das sete da noite e o escuro é sempre favorável para esses encontros românticos que os dois gostavam de ter.
Organizaram suas agendas e partiram para ver o filme, como se isso fosse verdade.
Combinaram de se encontrar na última fila, bem no meio do cinema.
Decerto, filmes assim, tinham pouca bilheteria. A preferência era dos lobos solitários, que quase sempre saíam dali, totalmente excitados pra pegar alguma mulher da rua, ou os homens de família que aumentavam a libido, vendo todas aquelas cenas, e quando chegavam em casa, estavam afiados para satisfazer suas suas senhoras, imaginando, contudo que estavam transando com as atrizes pornôs.
Muitas bundas e peitos avantajados, e tinha até os que apreciavam o membro alheio, sonhando que seus também eram tão grandes quanto.
O fato é que motivos não faltavam para que a bilheteria, sempre rendesse um bom trocado.
No caso de Mauro e Valentina, a questão era outra. Iriam sim, com certeza, dar uma olhadinha, na tela, mas de fato, o motivo era curtir um cineminha, de forma mais discreta.
Um amor gostoso, na verdade, era o que faziam de melhor.
Mauro chegou primeiro, e Valentina logo depois, e dirigiu-se para o local combinado, e lá estava ele, que mesmo com pouca luz era fácil identificar.
Um homem alto. Valentina ficava bem pequenina perto dele, e gostava de se sentir aconchegada em seus braços.
Logo que chegou, beijaram-se com intensidade e ela sentou-se a seu lado.
Havia naquela fileira, 2 ou 3 pessoas e estavam sozinhas e bem distante.
O tempo estava quente, e Valentina resolveu colocar uma saia curta e uma blusa decotada.
O filme começou e Mauro não perdeu tempo. Enquanto beijava Valentina, suas mãos tocavam seus seios, sem sultien que logo saltaram da blusinha frouxa. Ele atorava tocar-lhe os seios fartos. Logo em seguida, foi descendo a mão por seus ombros e sua barriga, e colocou-a entre as coxas grossas de valentina, e foi subindo devagar, enquanto a beijava, apertando
palmo a palmo, sentindo o calor que vinha de dentro. Qual não foi a surpresa, que Valentina estava nua, e ele sussurrou em seu ouvido: - Hummm, que delícia...
Valentina respondeu: - Ela está com muita saudade de você.
E realmente do jeito que estava, não se podia duvidar
Mauro sentiu com as mãos, o desejo pulsando
Então ela abriu um pouco mais as pernas, e arqueou o corpo pra que fosse mais fácil pra todas as descobertas possíveis..
Enquanto isso, Valentina, procurava a braguilha e pra facilitar ele se ajeitou, pra que ela pudesse toca-lo.
Se estivessem em outro lugar, já estaria beijando e lambendo, porque adora fazer isso. Sabe que Mauro vai ao paraíso, .
O fato é que ali ela estava restrita.
Enquanto isso, na tela as cenas eram as mais loucas, e os artistas transavam de todas as formas, excitando a platéia, e a Mauro e Valentina também, que vez por outra lançavam o olhar para a tela.
O clima foi esquentando e via-se nas cabeças à frente, movimentos inquietos. Certamente boa parte daqueles homens já estavam brincando com seus próprios brinquedinhos, usando algum casaco como disfarce para não serem flagrados pelo segurança do cinema.
Todos sabiam bem o que acontecia ali, mas ninguém podia exagerar.
O fato é que entre todo esse clima, levou Valentina e Mauro a se excitarem demais, e diferente dos outros que estavam sozinhos, ali estavam, bem pertinho,
sexos que se atraiam como imãs.
O sexo de Mauro estava a ponto de estourar e Valentina que não deixava por menos.
Depois levantou, e perguntou em seu ouvido: Você me quer agora? E ele disse: Agora? Como? Alguém pode ver.
Faz o seguinte; Abaixa um pouco mais na cadeira e o resto, deixa comigo.
E ele atendeu, e num relance, ela que estava de saia curta, levantou um pouco mais e pulou para a poltrona dele, sentando bem devagar e deixando-se preencher, e nem era preciso se mexerem tanto, .
Mauro por trás, segurava os seios de Valentina com uma mão, e a outra massageava o corpo de Valentina, enquanto sentia o calor de Mauro entre as suas pernas..
Nesse momento, os artistas do filme, evoluíam em sua ação, com gritos e gemidos, que furtavam gemidos da platéia masculina que nesse ponto já estava no
ponto alto de suas brincadeiras e aflitos para descobrirem de que forma iriam dar cabo do resultado de tudo aquilo.
Enquanto isso, Valentina e Mauro, empolgados com a gostosa foda, gemiam gostoso, até que Valentina teve tantas contrações, que o gozo veio naturalmente, seguido do
gozo quente e abundante de Mauro, que fez Valentina gozar mais uma vez, tal era sua excitação naquele momento.
Valentina, após esperar alguns momentos, saiu de cima dele, tirou da bolsa alguns lencinhos e enxugou o resultado daquele incrível momento.
Pouco depois o filme acabou, e a saída do cinema ficava para lateral de uma rua erma onde Valentina e Mauro haviam deixados seus carros.
Depois de um beijo demorado Mauro disse: - Você gostou?
Valentina disse: Adorei, até outra hora, e espero que não demore. E os dois deixaram que as pessoas saíssem, e também tomaram seu rumo. Ficaria dentro deles, um pouco de cada um, para que se lembrassem para sempre daquele momento.
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 14Exibido 252 vezesFale com o autor