Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
121 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56230 )
Cartas ( 21113)
Contos (12461)
Cordel (9813)
Crônicas (21737)
Discursos (3120)
Ensaios - (9964)
Erótico (13194)
Frases (41304)
Humor (17660)
Infantil (3600)
Infanto Juvenil (2327)
Letras de Música (5443)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (136767)
Redação (2885)
Roteiro de Filme ou Novela (1048)
Teses / Monologos (2379)
Textos Jurídicos (1915)
Textos Religiosos/Sermões (4467)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Erótico-->O SEQUESTRO (JUVENAL GOUVEIA) -- 03/05/2018 - 09:36 (valentina fraga) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Bom, meu amigo Juva, não imagina o teor dos meus textos, mas se conhecesse, se sentiria mais confortável ainda, em apresentar seus eróticos.

Toda essa narrativa pode parecer confusa, mas ela não é ficcional, realmente tudo foi muito confuso, começando pelo fato de que eu acordo dentro de um quarto, amarrado a cama. Repare, estava nu e nem um lençol me cobria, a sede era grande, assim como a vontade de ir ao banheiro, deixei claro que estava acordado, mas ninguém apareceu, cansei de chamar por alguém sem sucesso....cansado de chamar e tentar entender o q acontecia, fiquei sonolento e cochilei, sendo acordado por um ruído que vinha de um lugar que, descobriria depois ser o banheiro.
Entrou no quarto uma mulher de capuz, parecia ter os cabelos castanhos muito claro, quase loiros e uma camisa de manga comprida, a manga da camisa tão comprida q quase cobria as mãos dessa mulher, ela estava parada a minha frente e pude reparar os seus fartos seios e que estava sem sutiã, mesmo sem ele, os seios estavam firmes, um levemente maior q o outro e que balançavam ao andar, meu pênis teve uma leve reação com aquela visão.
Eu perguntava o que estava havendo, sem resposta, ela segura as minhas pernas, perto ao tornozelo, e olha diretamente para meu pênis q já estava mais "animado" ainda, ela o fitava com um olhar de quem já o conhecia, ele aumentava o volume a cada olhar, então de súbito ela sobe na cama e o olha bem de perto, sua camisa quase a trai, o peso e volume dos seios faz com que se crie um enorme decote, isso me faz ter uma ereção enorme, ela sem nenhum pudor e com uma avidez surpreendente, abocanha meus pênis q já estava prestes a estourar de tanto tesão, sua boca com lábios carnudos sugavam a cabeça de meu pênis como se fosse arrancá-lo, alucinado não sentia outra vontade a não ser de estar desamarrado e poder ajudar nas "tarefas", mas nada disso aconteceu, continuei amarrado e a vi largar o meu pênis e mostrando q a boca ficou cheio d`agua, sem nenhuma precaução segurou firme no pênis e com muita habilidade ajeitou o corpo e nele sentou, ela emitiu um grunhido e eu quase um berro, eu completamente tonto só voltei a mim na terceira descida, foi qdo ela levantou a quarta vez e para minha surpresa reparei que descia muito líquido pelo pênis, quase como ela estivesse urinado....mas com aquele visgo, só poderia ser excitação, ela se movia com graça e muito apetite, hora de frente, hora de costas, nessa hora gostaria de ter mais sangue para inflar mais o pênis, que impiedosamente era abraçado pela vagina.
Na parte de cima, meus bicos do peito, eram como chicletes, mastigados, mordidos e lambidos com uma avidez e crueldade que jamais presenciei.
Ela já suando, tira a camisa, expondo seios fartos com mamilos grandes e de tonalidade caramelada, seus bicos estavam rijos e com uma crueldade digna da era medieval me esbofeteia com os seios e me arranha com seus bicos espinhosos, qdo era possível esfregava minha língua e os tentava chupar, mas ela os tirava de mim, perco a razão com tantas informações e muito tesão.
Ela desce de cima do pênis e sinto o colchão abaixo de minha bunda, encharcado, ela analisa o pênis muito duro e pega no saco, ela limpa meu escroto e verifica a limpeza, o mordendo, chupando os ovos eu fiquei tão louco q quase arrebendo as cordas que me prendiam, meus pulsos já sangravam, mas era tanto tesão q não perdia a ereção, ela lambia minha virilha, mordia o saco, lambia e chupava o pênis, mordia as bolas, eu não tinha ideia de qnto mais iria aguentar, tentava prende-la com minhas pernas, ela me esbofeteava com os seios, que me golpeavam parecendo não sentir dor e sim prazer, eu tentava entre um golpe e outro, abocanhar um dos bicos q estavam duros a ponto de ter medo de eles me furassem os olhos.
Estava completamente dominado qdo reparo q ela vai me desamarrar, ao invés de empurra-la e tentar fugir, agarrei a cabeça e chupei seus lábios, ao invés dela tentar se afastar, ela enfiou sua língua mais fundo em minha boca, seus lábios carnudos me excitavam, eram deliciosos de morder, ela sem nenhuma cerimônia retribuía e colocava mais fogo nos beijos, tenho certeza q não eram beijos alucinantes, era sexo bucal, as penetrações de línguas e lábios por demais invasivos, nos deixavam mais loucos e mais excitados, se não fossem tão deliciosos, acho q estaria arrependido do que fiz, mas era uma loucura, não possuo vocabulário suficiente para descrever esses beijos.
Minha região pubiana estava tão molhada q poderia pensar q teriam jogado água em mim, também não me fiz de rogado e subi nela impiedosamente introduzi meu pênis naquela "sopa" deliciosa, a cada estocada era um grunhido, seus orgasmos vinham um após o outro sem um intervalo grande, era muito apetite, meu e dela.
Ela colocou a mão em meu peito, respirou fundo e em seu olhar pude ver que seu apetite não havia diminuído, então ela me afastou e se virou, abrindo as pernas e sem dúvidas penetrei novamente, houve um leve grito e isso me motivou mais, como se tivesse algo mais a motivar, alternava minhas mãos no quadril e nos seios, os gozos não paravam de vir e cada vez mais intensos, eu estava completamente doido de tesão, qdo ouço uma voz rouca dizendo....
Quero teu leite!!
Eu q já estava me prendendo nem sei como, apressei as estocadas e me aprofundado mais na vagina, seus gozos e suas contrações vaginais, não me deixaram muita escolha, gozei naquela vagina deliciosa, o gozo q eu não sabia que tinha, em quantidade, espessura e pressão.
Restou aqueles corpos suados e gozados, vi seus lábios chegarem aos meus e começaram a se morder, chupar, lamber. Era tanto tesão q voltamos a carga, que para meu espanto, não havia fadiga, parecia uma reprise de sensações.....
Após a terceira "viagem", ela deitou, se aninhou ao meu colo, ela sorria e parecia satisfeita e eu imerso em uma enorme confusão mental e satisfação sexual.
Dormimos profundamente e satisfeitos....desperto e reparo q estava novamente amarrado, já não ligo mais, espero ansioso por nova visita, meus labios, bicos, bolas, pênis, língua e eu.......... estão preparados para novas incursões de prazer.
Ou talvez tenha me tornado seu escravo, guardado em sua senzala, preso a sua trama.



Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 14Exibido 118 vezesFale com o autor