Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
85 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55220 )
Cartas ( 21066)
Contos (12156)
Cordel (9589)
Crônicas (21293)
Discursos (3112)
Ensaios - (9914)
Erótico (13140)
Frases (40122)
Humor (17564)
Infantil (3566)
Infanto Juvenil (2310)
Letras de Música (5416)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135847)
Redação (2879)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4226)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->De Volta do Sonho -- 02/11/2001 - 07:55 (Poeta Maldito) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Vamos voltar no tempo. Em um tempo gélido que tua cama não te satisfaz. Vamos voltar em uma época que todas as coisas eram escassas, exceto o medo e as doenças. Volte o quanto quiser. Sem se ajeitar no móvel em que lê agora, continue lendo. Eu lhe peço isso para conseguir ampliar suas sensações. Vamos voltar em um tempo que o cheiro pútrido escondia as mortes. Venha ao cemitério da colina onde a calma nos garante reflexão. Entre por esse portão antigo que já não se tranca mais. Venha passando por essas lápides brancas, tão frias quanto teu corpo. Teu corpo ainda pulsa vida. Venha caminhando por entre os mausoléus. Estes ainda guardam um rastro de beleza. Dentro deles algumas flores, mesmo que quase totalmente secas, permanecem. Cemitério sacro guardando pessoas anti - sacras. Venha refletir sobre esta tumba companheiro. Deite sobre ela. Pode ver este céu nublado à noite, vermelho. As nuvens se mexem vagarosamente. Pode escutar os pequenos demônios enroscando nas árvores. Eles te olham quando você fecha os olhos. Eles tem fome. Feche os olhos e poderá escutá-los. Onde está a lua que te fazia companhia. Você só sente o vento. O barulho dele. Sinta sua culpa. Sinta seu ódio. Sinta suas saudades. Sinta essa tumba que está sob você. Perceba que a uma voz baixa vinda daqui. Voz calma e pura. Sinta seu coração, para ter certeza que ainda está vivo. Escute esses passos pisando nas folhas. Parecem conhecidos. Parece que pararam. Feche os olhos. Cruze os braços. Respire fundo. De olhos fechados você sente algo te observando. Tem medo de abri-los. Aperta os dedos nas mãos. Precisa abrí-los. É então que vê uma sombra feminina levitando sobre você e te olhando. Estático de medo. Você só consegue fechar os olhos. Quando os abri novamente ela se foi. Respira fundo. Sente um vento gélido esfriando sua orelha direita. Vira o rosto e se depara com aquele rosto feminino a poucos centímetros de você. Pula para o outro lado sem tirar os olhos dela. Que susto! Mas como é bela! Era o que você imaginava de um rosto perfeito. Ela te chama pelo nome. Mas sua boca não se abre. Ela sorri e você quase se apaixona. Ou será que... Ela é linda. Você faria qualquer coisa por ela. De onde ela veio você não se interessa mais. Ela te chama com a mão. Você vai quase flutuando. Seria ela a parte que lhe faltava? Quando chega perto. Ela lhe confessa. Fora sua por muito tempo, mas não houve nada que a fizesse viver. Você fica sem entender. Ela começa a flutuar. Pedes para ficar mais. Ela some nas nuvens vermelhas.Acorda! foi só uma viagem em um sonho profundo. Você está bem em teu quarto, tua cama e ao lado de sua mulher, a mulher de seus sonhos.
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui