Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
132 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56729 )
Cartas ( 21128)
Contos (12522)
Cordel (9865)
Crônicas (21899)
Discursos (3121)
Ensaios - (10001)
Erótico (13200)
Frases (41759)
Humor (17750)
Infantil (3605)
Infanto Juvenil (2334)
Letras de Música (5450)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (137080)
Redação (2886)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4528)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Rei réu -- 04/11/2017 - 12:19 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Rei réu


No imperialismo das ideias tacanhas, o réu da justiça é o herdeiro respeitado por um povo que não sai do quadrado da cerca. Vivem ruminando e pastando feito gado marcado pelo rei não, o Zinho do Instante Alagoas. ALAGOAS terras de tantos gados marcados e seus reis réus que alimentam as mansas feras de uma dinastia que impera contra os tempos modernos. O mundo não suporta mais esse cercado pequeno onde a chibata e a bajulação imperam. Acorda, gado triste e infeliz! Não há mais espaço a tantos desmandos que contaminam com esgotos de uma bajulação que serve de base a falsidade e à hipocrisia. Não cabe aqui nenhuma ditadura pois o rei está deposto e o seu reino congelado está. A vida ferve nos desejos de povo gente que rala, que sofre e que trabalha. O reino é daqueles que seguem em frente sem precisar prevalecer às custas de um mundo escravo e subserviente. Sem precisar de alienantes e alienados. Quando não é Chico, ALAGOAS é Chicote no lombo da bajulação.
Balança meu bem! O galeguinho tá na rede rei na dor do zinho babão.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui