Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
90 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55325 )
Cartas ( 21071)
Contos (12178)
Cordel (9606)
Crônicas (21334)
Discursos (3113)
Ensaios - (9921)
Erótico (13145)
Frases (40234)
Humor (17570)
Infantil (3576)
Infanto Juvenil (2311)
Letras de Música (5419)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135948)
Redação (2881)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4238)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->O roubo -- 05/12/2017 - 13:11 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
O caso virou o assunto da semana. Seu Juvêncio da venda na Rua Beira Rio, vendia tecidos na pequena cidade de São José da Lage, quando numa terça-feira teve a loja invadida por ladrões que haviam fugido do presídio da capital. Ao chegar na loja, seu Juvêncio com a esposa, tomaram aquele baita susto que fez o coração dos dois palpitar. Dona Juvita, saiu à rua desesperada em busca da ajuda do delegado da cidade, que tinha como efetivos dois soldados, ambos cardiopatas por excesso de peso e uma viatura que se encontrava na oficina. Ao tomar conhecimento, o delegado registrou o ocorrido e seguiu ao local para a averiguação dos fatos. A cidade, antes pacata, contava agora com essa novidade, pois todos nunca tinham presenciado algo parecido. De boca em boca, a notícia foi ampliando de tal forma que chegou no Sítio do Limão, cuja propriedade era da família do Sr Pereira que ao ter conhecimento, colocou os jagunços sob regime de prontidão.
A loja do Sr Juvêncio continuava vazia sem tecido pra vender, até que na semana seguinte ao evento do roubo, um mascate que estava a passar pela cidade resolveu fazer uma visita ao pretenso comprador de seus produtos. Viu a oportunidade de refazer um estoque de vendas diferente. Adquiriu do mascate, vários produtos multifuncionais que, a custo ínfimo, se tornaria em outra modalidade de vendas do Sr Juvêncio. O tempo foi passando e aos poucos o casal foi recuperando monetariamente o que havia sido roubado. O caso na delegacia ainda continuava sem solução ou mesmo sem alguma prova dos autores meliantes.
Moral da história: nunca dependa de ninguém para a resolução dos seus problemas. Levante, inspire e abrace toda e qualquer oportunidade que a vida lhe presenteia.
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui