Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
137 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56951 )
Cartas ( 21165)
Contos (12585)
Cordel (10048)
Crônicas (22173)
Discursos (3133)
Ensaios - (8976)
Erótico (13389)
Frases (43472)
Humor (18423)
Infantil (3758)
Infanto Juvenil (2650)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (138131)
Redação (2919)
Roteiro de Filme ou Novela (1053)
Teses / Monologos (2400)
Textos Jurídicos (1924)
Textos Religiosos/Sermões (4819)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Erótico-->Intervalo -- 13/06/2019 - 21:16 (Lorde Kalidus) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Ivo havia saído para comprar mercadoria para a pizzaria junto ao filho mais velho. Ivone permaneceu na pizzaria cuidando da limpeza para, depois que tudo estiver pronto, começar a preparar os ingredientes para a noite, quando o telefone e o aplicativo deverão começar a tirá-la do sério trazendo os pedidos dos clientes. Não que não seja grata por ter seu negócio e poder tirar seu sustento dele, tudo o que tem deve ao negócio que inaugurou e mantém com o marido, bem como a ajuda do filho mais velho, mas também não nega que, independentemente disso, às vezes se sente cansada de tudo.

Mas sabe que nem tudo está perdido... As pizzas são boas, os clientes estão contentes e, mesmo durante as semana, a demanda de pedidos é boa, e, não bastasse isso, ainda existe o novo entregador que, pensa ela, já deve estar chegando, uma vez que ela mandou mensagem há poucos minutos avisando que o marido já havia saído para fazer compras e que deve demorar a voltar por causa do trânsito. Isso deve lhes render umas duas horas de liberdade e o fato de estar atarefada com a limpeza do pequeno salão vai, uma vez mais, ser o álibi perfeito.

Ela quase se conteve no momento da contratação do entregador, por quem acabou não conseguindo disfarçar uma atração tão fulminante quanto repentina. O marido não se opôs, até porque estava ocupado demais com alguma coisa, talvez fazendo a contabilidade da pizzaria, enquanto ela entrevistava o entregador que, logo à primeira vista, lhe despertou apetite. Ela também, com seus trinta e poucos anos, era uma mulher consideravelmente atraente, e o rapaz logo pareceu entender que estava sendo contratado mas pelos atributos físicos que necessariamente por ter o currículo desejado pela empregadora. Começou a trabalhar na noite do mesmo dia e, aproveitando um comentário da patroa sobre precisar de ajuda na limpeza, não demorou a se voluntariar, visto que o patrão reclamava sobre precisar do filho para fazer as compras. Como se entendesse a mensagem, Ivone sorriu disfarçadamente, e concordou que o entregador viesse auxiliá-la.

No dia seguinte, tão logo o marido houvesse saído com o filho para o mercado, ela mandou mensagem para o entregador, que morava perto dali. Com a porta de enrolar abaixada ele entrou pelo acesso menor e ela trancou tudo, levando-o para o fundo da loja. Após beijarem-se com um fogo que há muito ela não extravasava, a patroa se ajoelhou diante do funcionário e levou seu membro à boca, chupando-o com uma vontade que espantava até ela mesma, pois nunca havia feito sexo oral. Depois disso, ele a colocou sobre a mesa onde as pizzas são preparadas e a penetrou de frente, depois de costas, fazendo uso de todas as posições possíveis enquanto ela se realizava com seu funcionário e se lembrava que, a qualquer momento, o marido e o filho estariam de volta.

Uma vez por semana, quando sabia que os dois sairiam para fazer compras, Ivone deixava o entregador avisado. Ele se tornou seu intervalo entre as obrigações de esposa, o trabalho na loja, a vida como mãe, e, embora ela soubesse que não tinha o que reclamar da vida, também sabia que os momentos proporcionados pelo empregado é o que ajudavam a ir levando a vida de uma forma melhor. Tudo muito rápido, feito ali mesmo, dentro da pizzaria, a mesma onde, horas mais tarde, ela prepara os alimentos que seriam vendidos e lhe garantiriam seu sustento e o da família, mas, com alguma limpeza, tudo se organiza e o que os homens da casa não vêm, o coração não sente.

O celular vibra. Como ela imaginava, é mensagem do entregador, avisando que está à frente da pizzaria. Ela sorri, pega a chave e se dirige até a entrada do estabelecimento. Embora seja uma refém do pouco tempo que tem para usufruir com seu entregador, a ideia do prazer que ele proporciona lhe é muito agradável... 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 24 vezesFale com o autor