Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
29 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57169 )
Cartas ( 21140)
Contos (12558)
Cordel (9907)
Crônicas (21997)
Discursos (3126)
Ensaios - (10096)
Erótico (13283)
Frases (42403)
Humor (18014)
Infantil (3659)
Infanto Juvenil (2423)
Letras de Música (5458)
Peça de Teatro (1313)
Poesias (137462)
Redação (2895)
Roteiro de Filme ou Novela (1050)
Teses / Monologos (2384)
Textos Jurídicos (1918)
Textos Religiosos/Sermões (4564)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Ausência consentida -- 19/02/2018 - 08:44 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Ausência consentida

A ausência de si próprio, marca um desfalque intencional ou não em que tudo mitiga-se, inclusive o respeito. Vivemos na nossa verdade, a instalar nas verdades alheias prescrevendo e ajuizando o destino delas. Conveniente e notoriamente absoluto, ela percorre espaços inapropriáveis e instala-se. Buscar uma presença aleatória, além do limite da ausência, presume-se mergulhar no vazio séquito do eu no universo alheio. Atiro e erro. Falo sem eco. Envio e não transmito. Há que se desejar sem direito a posse. O outro é outro. A ausência abre a guarda e festeja a invasão na presença tomada por empréstimo do outro em mim. Não haverá de ser permissão, o que se permite na ausência. Revelar-se no outro sem minha própria identidade, ausente completo do eu a imaginar-se no outro. Empatizar minha ausência permitida, sem anular o espaço a que de direito tem o outro sublimado no sofrer cotidiano de ausente estar. Estar tão somente momentâneo por entre esquinas e ruas, caminhando quarteirões, percorrendo bairros, imergindo na cidade vazia repleta de ausências consentidas.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui