Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
131 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56733 )
Cartas ( 21128)
Contos (12527)
Cordel (9865)
Crônicas (21901)
Discursos (3121)
Ensaios - (10001)
Erótico (13200)
Frases (41767)
Humor (17750)
Infantil (3605)
Infanto Juvenil (2334)
Letras de Música (5450)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (137081)
Redação (2887)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4528)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->A voz do vento -- 23/02/2018 - 20:47 (Adalberto Antonio de Lima) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos






Apresentou-se nervoso. Mais nervoso do que cansado de lutar para transformar o negro em branco e a brancura em negrume, retirar muitas aspas e caspas do livro da vida. Não acreditava na versão que o pai houvesse morrido, mas não podia dizer que a  mãe mentia. Era preciso descobrir. Estava cansado de procurar por fisionomia parecida com a dele. Nalgum momento, teve vontade de perguntar a qualquer vivente: ‘Você é meu pai?’ E sentia-se feliz, quando Ravenala o chamava de maninho. Robert queria sentir o carinho, ainda que apenas na voz do vento a sussurrar: “ Meu filho,  venha cá!
 
 
 






Adalberto Lima



 







Enviado por Adalberto Lima em 23/02/2018

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 2Exibido 37 vezesFale com o autor