Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
131 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56717 )
Cartas ( 21128)
Contos (12517)
Cordel (9864)
Crônicas (21895)
Discursos (3121)
Ensaios - (10001)
Erótico (13200)
Frases (41729)
Humor (17749)
Infantil (3605)
Infanto Juvenil (2334)
Letras de Música (5448)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (137078)
Redação (2886)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4523)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Meia Arrastão(Corrigida) -- 11/03/2018 - 17:49 (Luciana do Rocio Mallon) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Meia Arrastão
Na minha infância, meia arrastão era uma peça do vestuário que as moças colocavam nas pernas e depois jogavam saias ou shorts em cima. Assim elas partiam para as discotecas. As únicas coisas que a meia arrastão roubava eram olhares e corações.
Hoje, em 2018, meia arrastão é quando assaltantes entram num ônibus lotado de trabalhadores, dão voz de assalto e roubam todo mundo, no coletivo, pegando objetos que muita gente ainda está pagando a prestação. Esta meia arrastão além de trazer prejuízos materiais, rouba até a dignidade das pessoas, provocando problemas como Depressão e Síndrome do Pânico. Sem falar que muitas vezes estes bandidos, que invadem os coletivos, matam trabalhadores e pais de famílias.
O povo não deseja meia segurança, pois precisa de proteção inteira.
Luciana do Rocio Mallon




Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui