Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
131 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56399 )
Cartas ( 21119)
Contos (12482)
Cordel (9833)
Crônicas (21793)
Discursos (3122)
Ensaios - (9978)
Erótico (13197)
Frases (41438)
Humor (17685)
Infantil (3603)
Infanto Juvenil (2328)
Letras de Música (5445)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (136911)
Redação (2885)
Roteiro de Filme ou Novela (1048)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4473)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Elogio à sabedoria -- 01/04/2018 - 15:57 (Adalberto Antonio de Lima) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos











Elogio à sabedoria
 


A boneca dormia dentro de uma caixa de sapatos, como a menina que Ravenala fizera adormecer dentro de si mesma.

Agora  estava  só. Sozinha, navegando velozmente no silêncio de sua imaginação. Ela construíra conhecimentos, sob a regência do Padre Davi, tornando-se uma sombra dele.

Sabia que era preciso engolir muito papiro, para encontrar o Tesouro de Bresa,  por isso, quando viajava nas páginas de Machado, queria matar os vermes que o roeram o livro dele, e nada sabiam. Nada se lembravam. Ou era de Betinho o livro?... Ou de Casmurro? 

Tinha certeza que não é parceiro da sabedoria o homem de um livro só. Toma, lê. 
Ela  leu, releu e remoeu mais de  quinhentos livros, e era capaz de regurgitar frase por frase, ainda que lida há muitos anos. 

Aprendeu a navegar  nas asas da imaginação. Pegar carona no Sputnik de  Gagarin. Alçar voos  a bordo de uma nave espacial;  romper horizontes e ultrapassar barreiras. Ser um anjo latino a dar uma volta completa em torno da Terra. Temia, no entanto,  ser ridicularizada, ou considerada leviana naquilo que escrevia.

Disse-lhe o anjo da guarda: “Se andares pelos caminhos retos, não temerás os terrores noturnos, nem a flecha que voa à luz do dia.

Levanta-te e vai. Vai perseguir teus sonhos.  Há dentro do homem  uma  gaivota buscando romper os limites de sua espécie, ou uma águia afiando as garras, arrancando as penas e fortalecendo as asas para alçar novos  voos... Toma, pois, caneta e papel, e escreve tudo que viste e ouviste.” 
***
Adalberto Lima, fragmento de "Estrada sem fim...)

Contato: adalbertolimapoetadedeus@gmai.com.






Adalberto Lima




Enviado por Adalberto Lima em 01/04/2018



Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 31 vezesFale com o autor