Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
111 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56923 )
Cartas ( 21134)
Contos (12535)
Cordel (9883)
Crônicas (21940)
Discursos (3125)
Ensaios - (10032)
Erótico (13216)
Frases (41987)
Humor (17837)
Infantil (3614)
Infanto Juvenil (2350)
Letras de Música (5450)
Peça de Teatro (1313)
Poesias (137258)
Redação (2893)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2382)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4538)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Passeio lunático -- 09/05/2018 - 13:21 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Passeio lunático


Sigo, sigo... neste bordão, levo o coração amputado e preso por alças. Peça aos deuses que vez em quando liberte o lamento cardíaco para transmitir aos quatro cantos encantados, a beleza do encanto. Vibra com o olhar e tira o fôlego insofismável dessa gente amável na carência exalada. Apazigua a existência das rasteiras que lhe acometem a crença e o torna vulnerável pelas palavras ardis do semelhante a lhe torturar. Bordão no cordão do acórdão não acordado entre as partes promíscuas que revelam entre si, interesses opostos. Repara ao espelho e vês que não há espaço a outra imagem que não seja a tua, pois dela és o dono e não há como imputar a causa a outrem sem que esse, assim o permita. Desfaz a papada da verdade surreal que te atormenta e aguenta as consequências, doravante exige todas as incumbências transmitidas e não renegues ao passado. Enquadra bem as verdades e meias verdades, assegurando-lhes a real existência. Acalma a língua que caluniam tua loucura e dá-lhes o sabor que lhes permita degustar da própria insanidade. Invade os castelos e deles retira todo o tipo de invasores credores ou não da dor. Fá-los assistentes do juízo, incumbindo-lhes de velar o sono dos que se recusam a acordar em meio ao barulho inexato dos sons. Permite-te ao passeio por onde a coragem é a exigência no universo lunático que é a prática da existência. E acena aos que recusam passear na insanidade saudável de viver a loucura, mulher adorada dos estudiosos que dela são reféns.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui