Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
125 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56699 )
Cartas ( 21128)
Contos (12515)
Cordel (9863)
Crônicas (21885)
Discursos (3121)
Ensaios - (9999)
Erótico (13200)
Frases (41685)
Humor (17749)
Infantil (3605)
Infanto Juvenil (2334)
Letras de Música (5448)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (137070)
Redação (2886)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4518)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Discursos-->Crucificação -- 22/10/2004 - 18:11 (maria da graça almeida) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Crucificação
maria da graça almeida
I
Negro ponto à luz do dia,
incólume, o pássaro voa.
Livre, como o Pai o concebeu,
nos ritos da imensidão, vai .

No alto da Cruz
- o suplício da agonia
cravado em quem não o merecia-
o maior amor do Pai.
II
Tosco T... E os torpes fundem
seiva morta e corpo vivo;
tez macia e dor do espinho;
peito da mãe, mãos de Adonai.

Fundem pena e inclemência;
poderio e impotência;
santidade e violência,
que se beijam e se traem.
III
Ó céus...
Almas límpidas e impuras
provam a mesma amargura,
feito um bem formado par.

Ó céus...
Brindam no ar e cospem no chão
a infame consciência
que morreu de inanição.

Ó céus...
Só trovão a ribombar.
Será que nem a onipotência
pôde, o filho, resguardar?

maria da graça almeida
direitos reservados























































































Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui