Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
99 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56600 )
Cartas ( 21127)
Contos (12498)
Cordel (9854)
Crônicas (21849)
Discursos (3121)
Ensaios - (9994)
Erótico (13199)
Frases (41604)
Humor (17728)
Infantil (3604)
Infanto Juvenil (2328)
Letras de Música (5448)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (137016)
Redação (2886)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4495)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Rosaceae -- 06/07/2018 - 10:16 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Rosaceae

Ontem, havia uma rosa sem graça, sem vida. Era imóvel e portanto, quase imperceptível ao olhar, por mais atento que fosse. Os caminhos com pedregulhos zombavam da inércia tumular presente naquele pequeno espaço de solo. Sua voz, quase inaudível nunca aumentara o tom, o que a fazia um claustro situado em penhascos gigantes. Um nômade ao transitar por aquela estrada, percebeu aquela Rosaceae tímida na presença de um terreno tão árido. Aproximou-se dela e tocou-lhe a fina pétala que imediatamente fez-se mais viva na cor e maciez. Não esperava que ele a retirasse dali, mas apreciava seu gesto sutil de gentileza e generosidade. Não se atrevia além do olhar de gratidão por aquele simples toque que se fez presença eterna e revigorada pelas sensações mais que aprazíveis, mais que audazes, mais que todo amor que de uma flor pôde-se exalar.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui