Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
138 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56624 )
Cartas ( 21128)
Contos (12502)
Cordel (9854)
Crônicas (21854)
Discursos (3121)
Ensaios - (9995)
Erótico (13199)
Frases (41612)
Humor (17732)
Infantil (3604)
Infanto Juvenil (2332)
Letras de Música (5448)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (137016)
Redação (2886)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4500)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Política ideia é o povo de cá -- 09/09/2018 - 06:52 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Política ideia e povo de cá...
Passa gente reina a vida, efêmera de vida carente...

Aos cascos de um passado nefasto nas pontes de ser gente, lá a montaria de homens armados a galopes na perseguição de estudantes de idéias diferentes, o Sr. José por simplesmente por colar a fita de um filme para passar para a exibição para a sua clientela, foi taxado como subversivo e nesse dia. Então m, não levou o pão para seus filhos, simplesmente dormira na cadeia. Que bolsa merda de ação! E no Pilar, o pobre pescador levara um surra, pois comera fezes e teve suas pernas quebradas. O padre no sermão chamou a atenção e regime Militar o transferiu para o sertão. O vigário que disse não ao cão Militar do meu Pilar Apilado das Azalagoas.
Pois é... e assim caminha a humanidade aos gritos de louvor enfurecido e cego na estupidez de ignorância por desconhecimento de um outro tipo de grito. O grito pela igualdade, um grito pelas saúde e educação, um grito por um capitalismo mais consciente com responsabilidade social, o que para alguns, remete aos seus sonhos mais íntimos que os levam a se espelhar num Zé trabalhador e inocente das maldades e frustrações reais dos que
nele se espelham. Ao chegar em casa, lamentam-se de si, pois a visão manchada pela catarata que macula o campo de visão do intelecto, sofrem por nunca terem sentido o interesse de saber sua história e seu real passado. Vive então, a se lambuzar da poeira e fezes de seu trajeto pela vida. E sorriem jocosos sem visão de sua própria cegueira e estupidez.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui