Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
126 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56894 )
Cartas ( 21134)
Contos (12535)
Cordel (9881)
Crônicas (21940)
Discursos (3123)
Ensaios - (10029)
Erótico (13216)
Frases (41941)
Humor (17822)
Infantil (3614)
Infanto Juvenil (2347)
Letras de Música (5450)
Peça de Teatro (1313)
Poesias (137239)
Redação (2891)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2382)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4538)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Ela -- 29/10/2018 - 07:40 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Amanheceu, e hoje senti a necessidade de levar flores àquela que está com o quadro de comprometimento de sua integridade. Ela, a democracia está a caminhar perdida por entre jazigos históricos e no seu funeral, lamenta e verte lágrima que pulsam por uma mácula provocada pela ausência de ouvintes ao seu grito de súplica. Sem nada a celebrar, salvo o sol que insiste em em brilhar, as estrelas a figurarem, o espaço sideral e a lua a alinhar o período diurno para dar chance a um novo dia. Ela insiste em caminhar pelas ruas mas está frágil e não teve o socorro necessário por neglicencia, imperícia e imprudência. Ela não ver nada além de muros que a cercaram utilizando a massa corrida da profecia falsa. Ela está ilhada e exilada em si e só. Ela é a bela adormecida de um romance real em que o antídoto levará tempo para trazê-la novamente ao cenário da cidadania. Ela agora segue o calvário mas não está sozinha. As preces são lágrimas e a esperança é a união.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui