Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
122 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56715 )
Cartas ( 21128)
Contos (12517)
Cordel (9864)
Crônicas (21893)
Discursos (3121)
Ensaios - (10001)
Erótico (13200)
Frases (41727)
Humor (17749)
Infantil (3605)
Infanto Juvenil (2334)
Letras de Música (5448)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (137078)
Redação (2886)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4523)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->O pastouro e o nó no vento -- 28/11/2018 - 01:03 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
O pastouro e a pastourada, segundo o manifesto da carta evangélica nó no vento.


O vento em si, não exigia velocidade salvo quando os pastouros não conciliavam a paz política com os desejos místicos de alcançar o grau máximo da purificação. As ovelhas seguiam o rumo do vento sem dar no na botina do pastor que já sabia e conhecia a tourada do pastor Jarme. Exímio em palestras sobre a diversidade de touros e ovelhas, trabalhava com a possibilidade de por meio do DNA, cruzar a ovelha com o touro. Não deu outra! Fez surgir uma nova espécie: o tourolha. Tal espécie animal unia a mansidão da ovelha com a paixão política de dar o nó na espingarda de uma lula. Houve então, um simpósio sobre quais espécies seriam mais adaptadas ao nó no vento. E, para sua frustração, não foi sua touralha, mas a lula bem articulada que que captava todos os ventos para produzir energia éolica nas terras dos pequenos agricultores. Satisfeitos, estes elaboraram uma carta de manifesto contra a manipulação genética ineficaz do pastouro Jarme, cuja proposta inicial seria dar no no vento para captar energia. A ciência comprovou que somente a lula com seus inúmeros tentáculos teriam a habilidade de facilitar a vida dos pequenos agricultores e com isso elevar a produção e melhorar a produtividade agrícola através do nó no vento do Nordeste esquecido, sem danificar a natureza do ser vivo. O prêmio foi dado ao pároco Bidião, fiel depositário das forças naturais sem a manipulação genética.

Palavra da Salvação da natureza animal!
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui