Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
36 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56824 )
Cartas ( 21161)
Contos (12584)
Cordel (10011)
Crônicas (22151)
Discursos (3132)
Ensaios - (8953)
Erótico (13387)
Frases (43341)
Humor (18382)
Infantil (3751)
Infanto Juvenil (2630)
Letras de Música (5464)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (138023)
Redação (2918)
Roteiro de Filme ou Novela (1053)
Teses / Monologos (2394)
Textos Jurídicos (1923)
Textos Religiosos/Sermões (4765)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->O estoicismo diário de cada um -- 14/05/2019 - 07:16 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

O estoicismo diário de cada um no seu cada qual


Pensamentos passeiam a qualquer hora, pois como já dizia Sarte:” o homem está condenado a ser livre”

Embora tenhamos a tecnologia ao nosso dispor, papel ou caneta para escrever coisas que valham a pena, a tecnologia e o papel assim como a caneta não nos permite a liberdade que se encontra na verdade de cada um. É fácil julgar e imputar iscareis aos outros, pois estes estão na superfície que nos permite utilizar os outros como espelhos. A verdade é subterrânea. Bem mais difícil de encontrar. 

Não podemos vivenciar o estoicismo sem a filosofia que permite a liberdade do pensar, tão bem defendidos por Sartre e Simone.

Nem a tecnologia do teclado ajuda. A dialetica do teclado difere da filosofia que permite ao homem a liberdade. Ele, o teclado,  sempre coloca as palavras que já vem registradas, automaticamente para o ser não pensar. Pensar, dói. Talvez isso justifique as regras impostas pela cartilha da sociedade que apedreja Geni e denigre com vocábulos a Simone.

O inferno é q verdade que está em nós e é difícil aceitar.

A filosofia Bidiônica caminha pelos labirintos sociais e permite à Bidião 

filosoficamente cagar pra cima. Pois é... Para não ver os outros tentar poluir Marte no novo tempo filosofal de Dom Bidião.

A resiliência permite a adequação necessária à filosofia bidionica sem questionar o imputar responsabilidade alguma. Mas estamos condenados a liberdade de escolher o inferno ou a serenidade e resiliência diante dos obstáculos.

Mas há quem diga: “E por falta de conhecimento da nosso própria natureza, transferimos nossas deficiências ao outro!” Mas... Quem são os outros? Acredito que cada qual desenhe seu outro. O cão é o melhor amigo do homem, sendo o animal nosso melhor instrumento de resiliência. Ele a tudo aceita. Até a indiferença do tutor.

É difícil admitirmos que estamos equivocados. É uma falha nossa mas que tratamos de transferir aos outros. Porque a verdade está bem lá dentro e só nós sabemos onde ela se encontra. Caverna fora saudosa kkk

Caverna saudosa, maloca querida....Caverna saudosa, maloca querida.... nos faz ver as sombras e ainda admira-las. Nossa caverna. Nossa luz. Um contraponto. 

Pandora e seus outros a cada tempo Sartre vive. Entre as cortinas e a luz. Sinto o cheiro da maloca que o tempo doura na engenharia tempo do meu tempo menino. Tempo, tempo a cada templo que fé deu a um dará Deus.

Pandora é o segredo que habita todos os mistérios. É nela que buscamos energias e leveza.

As ditas duras e moles a cada povo cão minha dor gente...

A Igreja homem... Defendo futucar Sartre kkkk

O templo homem... Seria bom se assim ele enxergasse a si próprio. E a maneira de trabalhar com todos o caos seria mais tranquila.

Dou graças a Sartre!!! Ele nos libertou até dos nossos próprios julgamentos.

No dia que isso acontecer perderá o encanto. Acordar cedo é uma tarefa árdua que adormece meu ser jegue para caminhar, busco o pequeno príncipe e apago o cansado VELHO.

Simone me defende. “Estou inserida na velhice, muito embora não me sinto nela. O tempo parou pra mim, disso não tenho dúvida. Mas vivi em meio a homens sem perder minha femilidade”.

Sartre pintou o dele pintado a cada mergulho nas águas e aprendeu a linguagem líquida e flutuou no teatro de palcos tantos... E Simone libertou as mulheres do palco de todo tipo de culpa.

O tempo pintamos a cada sentir gente. Somos um Deus criado na mentira🤓🤓🤓

Sartre e Simone deram o veredicto: “ ser livre”. Cabe ao homem a opção da escolha ser ou não ser. Na dor Simone ou na dor do ser feminino. E a ela permitida. Ela teve a opção de escolher. Pois livre era. Assim ela quis. Ninguém se liberta sozinho, tivera o olhar e Simone acreditou... olhar Simone.... filosofia bidionica. No tempo Simone, ela fora a mosca tá sopa, acredito que vivera momentos de Genir mas Simone descobriu o gozo e viveu seus instantes efêmero no éter assentindo esporrou na terra. És o verbo Simone. Mulher,menina e Deusa de seus sonhos Simone.

“Liberta antes que e seja tarde”. Já dizia Tira-dentes sem anestesia.


Marcos Alexandre Martins Palmeir

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui