Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
116 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56920 )
Cartas ( 21134)
Contos (12535)
Cordel (9883)
Crônicas (21940)
Discursos (3125)
Ensaios - (10032)
Erótico (13216)
Frases (41984)
Humor (17836)
Infantil (3614)
Infanto Juvenil (2349)
Letras de Música (5450)
Peça de Teatro (1313)
Poesias (137255)
Redação (2893)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2382)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4538)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cartas-->Carta de um sábado de solidão -- 10/09/2011 - 14:53 (José Ronald Cavalcante Soares) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Veio, por causa da solidão momentânea, uma enorme saudade: as casas de minhas avós já não existem mais, ambas viajaram para o outro lado da vida, deixando apenas aquelas recordações amenas que nos deixam as pessoas queridas. A rua onde passei a infância e o início da adolescência, tão pacata e silenciosa, hoje se transformou numa autêntica filial do inferno: barulhenta, cheia de fumaça do óleo diesel dos ônibus que passam apinhados. Não há mais meninos correndo atrásd de uma bola de pano, sonhando e querendo adquirir fama de craques. A tarde de sábado, repentinamente, ficou vazia, inútil, tendo a televisão e o computador como únicos refúgios tecnológicos, mas que não preenchem a necessidade do convívio humano, não sufocam a saudade que maltrata o peito, põe o coração acelerado.
Que fazer, não há como ligar uma linha para falar com aqueles amigos que eu nem sei por onde andam. A companheira e os dois filhos homens lá pelo hemisfério norte e eu aqui pensando neles, na quietude do meu quarto, escrevendo estas linhas que brotam como um grito do fundo da alma.
O jeito é rezar, pedir a Deus que os dias de ausência sejam breves, para que os meus braços possam estreita-los, pelo menos dois deles, quando do retorno, já que o caçula vive muito longe daqui.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui