Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
29 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56598 )
Cartas ( 21157)
Contos (12595)
Cordel (9988)
Crônicas (22114)
Discursos (3130)
Ensaios - (8904)
Erótico (13337)
Frases (43018)
Humor (18286)
Infantil (3717)
Infanto Juvenil (2553)
Letras de Música (5461)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137839)
Redação (2909)
Roteiro de Filme ou Novela (1054)
Teses / Monologos (2386)
Textos Jurídicos (1921)
Textos Religiosos/Sermões (4641)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Diversões paralelas de uma esposa dedicada -- 13/06/2019 - 21:09 (Lorde Kalidus) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Marcos havia saído para o trabalho há poucos minutos. Clarissa arruma a mesa enquanto pensa no compromisso que tem para daqui uma hora. Não é a primeira vez que recebe os visitantes, mas, ao contrário das primeiras vezes que vieram, ela pretende se arrumar um pouco melhor e cuidar para que eles percebessem que sua presença ali a agrada mais do que imaginavam que agradaria.

O dia a dia de Clarissa passou a ser variado desde a revelação dos garotos da rua. Embora soubesse que os moleques de hoje são mais ousados que os de antigamente nunca poderia esperar que chegassem a este ponto, se perguntando se teria dado alguma liberdade que tivesse feito com que eles se sentissem à vontade o bastante para abordá-la. Sempre teve certeza que, um dia, poderia ser descoberta, talvez por Marcos, por este suspeitar das visitas de outro homem à casa enquanto trabalhava, ou que talvez Armando já tivesse deixado a entender, em alguma das conversas que os dois têm durante o trabalho, que andava visitando a esposa do amigo quando saía para serviços externos. Talvez uma janela aberta ou câmeras instaladas ocultamente pudessem acabar fazendo com que Marcos soubesse de alguma coisa um dia, mas, ironicamente, foram os adolescentes que moram na vizinhança quem acabaram descobrindo toda a verdade, fazendo uso de seus celulares, que acabaram registrando tudo o que ela e o amante fazem às escondidas enquanto o marido se encontra em serviço. O fato de apenas uma tarde ter sido filmada não iria fazer diferença num processo de divórcio caso o que foi filmado chegasse às mãos do marido traído, o que fez com que ela, tão logo eles lhe mostrassem o conteúdo do vídeo, lhes perguntasse o quanto seu silêncio sobre o assunto iria custar.

Ela não se surpreendeu quando eles deixaram claro que não seria por dinheiro que iriam manter segredo sobre seu caso com Armando. Seu corpo seria a moeda de troca, ela seria deles por algumas horas durante a semana e eles fariam o que bem entendessem com ela da mesma forma que o amante e amigo do marido traído fazia. Como que por instinto, sentiu-se como se devesse reagir, resistir à chantagem, mas pensou no casamento, nos filhos e, como não poderia deixar de ser, no que isso iria acarretar com o fim do casamento, já que possuem bens. Acreditando que teria de fazer aquele sacrifício e que, por que não dizer, quem dá pra um dá pra todos, decidiu aceitar os termos dos garotos, passando, então, a recebe-los no sábado pela manhã, depois da academia, quando o marido estivesse trabalhando. Armando, que costuma aparecer nos dias de semana, sem possuir dia certo, uma vez que sai de acordo com os serviços que aparecem na firma, continua sem saber de nada sobre a chantagem, uma vez que Clarissa não queria correr o risco de perder o amante, que alegra seus dias de semana em casa, além de não ver motivo para criar pânico já que havia cuidado do problema com os garotos, que se comprometeram a manter o ocorrido em segredo, inclusive tratando-se do que ela iria lhes dar.

A rotina era praticamente a mesma, revezavam-se no quarto, entrando um por vez e transformando a cama em que ela dormia com o marido num cenário de filmes pornográficos. A coisa chegou a tal ponto que começou a se sentir à vontade com a situação, muitas vezes praticamente esquecendo de que tudo começou com ela sendo uma refém das circunstâncias criadas pelos adolescentes, tamanho o gosto que havia criado pelas visitas semanais do grupo. Eram sempre os três que apareciam, nunca permitiram que outros tomassem parte da situação, uma vez que, quanto mais soubessem de tudo, maior a chance de Marcos acabar descobrindo sobre as diversões paralelas da esposa, que, com o passar dos dias, não só aceitava cada vez mais as visitas dos adolescentes como até mesmo fazia questão de se preparar estimulá-los cada vez mais, sempre que o marido e os filhos estivessem fora.

Os dias passavam e ela dividia sua rotina entre ser a mãe de família, a esposa dedicada ao lar e a puta que se realizava deitando-se com o amigo do marido e os adolescentes que, até a visitarem, só conhecia por olhares indiscretos trocados na rua onde mora. A vida continuava, o que quem a conhecia não podia ver, teoricamente, não acontecia, e tudo era tão satisfatório quanto ela poderia querer que fosse...

 

 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 19 vezesFale com o autor