Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
89 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55354 )
Cartas ( 21072)
Contos (12178)
Cordel (9607)
Crônicas (21341)
Discursos (3113)
Ensaios - (9921)
Erótico (13148)
Frases (40262)
Humor (17570)
Infantil (3577)
Infanto Juvenil (2311)
Letras de Música (5420)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135962)
Redação (2881)
Roteiro de Filme ou Novela (1036)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1909)
Textos Religiosos/Sermões (4240)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Humor-->PESQUISA ELEITORAL -- 01/11/2010 - 18:51 (Henrique César Pinheiro) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Nesses tempos de eleição, volta e meia nos deparamos com uma pesquisa eleitoral dando vantagem a um e a outro candidato. Entretanto, jamais podemos confiar em pesquisas.

As primeiras desconfianças ficam por conta de eu nunca ter sido pesquisado. Ademais, não conheço ninguém que também tenha respondido uma pesquisa.

Mas para confirmar minha desconfiança, resolvi promover minha própria pesquisa para presidente da República. Entre os dias 17 e 18 de outubro, lá vai eu falando besteira igual aos jornalistas e repórteres de uma maneira geral. Entre, pelo menos no meu entendimento significa no meio, portanto, entre os dias 17 e 18 não há nada. Assim, fica melhor nos dias 17 e 18 de outubro, fiz minha pesquisa, quando entrevistei 3.542 eleitores.

Desta entrevista, constatei que o próximo presidente da República seria uma mulher e por coincidência minha mãe.

Pois bem, vamos à metodologia que empreguei para chegar a essa conclusão. No decorrer dos dias citados, por volta das duas horas da madrugada, peguei o telefone e aleatoriamente fui ligando para várias cidades do país. Quando a pessoa atendia, como aquela voz melosa de sono eu lascava a pergunta:

- Em quem o senhor ou a senhora vai votar para presidente da República? Invariavelmente, a resposta era na puta que pariu. Esse voto eu computava para minha mãe. Quando a resposta era vai tomar no cu seu filho de uma puta, eu considerava voto nulo. Pois não tinha certeza se o sujeito estava votando em mim ou na minha mãe.

Em resumo, como nem eu e muito menos minha querida mãe, que já nos deixou há anos, somos candidatos a alguma coisa, cheguei à conclusão que as pesquisas não são confiáveis. Por outro lado, também, concluí, tristemente, como base num cordel que escrevi recentemente, cujo mote era: Tá chegando a eleição/ e não sei em quem votar, que realmente o povo não sabe em quem votar. Como se justifica não candidatos receberem votos?

Entretanto, como já elegeram o Cacareco em São Paulo e o macaco Tião no Rio, é possível elegerem minha falecida mãe presidente do Brasil e para o país seria uma grande conquista,caso ela fosse viva, pois garanto que honestidade teria acima dos nossos atuais postulantes.


Henrique César Pinheiro
Fortaleza, outubro/2010.
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 36Exibido 488 vezesFale com o autor