Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
44 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54835 )
Cartas ( 21056)
Contos (12106)
Cordel (9509)
Crônicas (21076)
Discursos (3107)
Ensaios - (9896)
Erótico (13126)
Frases (39797)
Humor (17544)
Infantil (3558)
Infanto Juvenil (2308)
Letras de Música (5411)
Peça de Teatro (1309)
Poesias (135514)
Redação (2869)
Roteiro de Filme ou Novela (1034)
Teses / Monologos (2371)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4172)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Humor-->A FRANQUEZA DAS CRIANÇAS (32) -- 03/01/2011 - 12:50 (ANGELA FARIA DE PAULA LIMA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
A FRANQUEZA DAS CRIANÇAS...



Meu avô paterno, o Vô Chico, fazia o rodízio na casa dos filhos e com isso, participava da vida de todos, especialmente dos netos. Os amigos sabiam que ele viajava, mas que em data certa estava de volta. Já se tornara um hábito esperá-lo. Era boa companhia, arrebanhava amizades facilmente pelo seu temperamento bem humorado e muito desarmado. Achava graça nos azares da vida e não se incomodava de ser o “perdedor” nas histórias que contava sobre si mesmo.

Brincava com a meninada, inventava estórias engraçadas para os netos. Lembro-me de uma, sobre um homem que morava na “Terra do Patetétu”, flagrante alusão ao Pateta é tu! E nós não desconfiávamos que , na verdade, ele fazia jogo de palavras e sugeria que a gente é que era o pateta da estória!

Só muito depois de crescidos é que nos demos conta de que o maior gozador era ele! A meninada da vizinhança ficava “louca” pela sua volta para ouvir seus casos enquanto ele descascava laranja baiana fazendo um corte em cone à guisa de copo para a gente apertar e encher de caldo! E nenhum avô da redondeza sabia essas artes! Sentiamo-nos os únicos netos com avô tão especial! E ele se deliciando com a nossa inocência enquanto contava estórias mirabolantes como se fosse tudo verdade... E a gente acreditando piamente!...

Pois uma vez, ao retornar para mais uma temporada na casa do meu tio médico, a criançada juntou para ouvir as novas estórias (talvez as mesmas antigas em embalagem nova)!

Só que um dos meninos olhou para ele e resolveu fazer uma observação:
- “Vô” Chico!... Quando o senhor saiu daqui o senhor era tão feio!

Animado meu avô perguntou:
_ E agora? Como estou?

E o menino muito francamente respondeu:

-O SENHOR CONTINUA A MESMA COISA!...
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 61Exibido 412 vezesFale com o autor