Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
30 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56450 )
Cartas ( 21157)
Contos (12576)
Cordel (9977)
Crônicas (22086)
Discursos (3130)
Ensaios - (8877)
Erótico (13329)
Frases (42884)
Humor (18232)
Infantil (3705)
Infanto Juvenil (2520)
Letras de Música (5461)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137744)
Redação (2907)
Roteiro de Filme ou Novela (1053)
Teses / Monologos (2385)
Textos Jurídicos (1918)
Textos Religiosos/Sermões (4619)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Humor-->CADA LOUCO COM SUA MANIA -- 12/03/2018 - 21:28 (GERMANO CORREIA DA SILVA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


CADA LOUCO COM SUA MANIA


Manicômio lotado de pacientes que poderiam receber alta não fosse a burocracia que norteia o prontuário de indivíduos nessas condições.

Médicos psiquiatras sedentos de vontade para ver alguns desses clientes deixarem as dependências daquele hospício para em seguida receberem outros que estavam a meses na fila de espera.

Um desses médicos, irrequieto com a morosidade do processo, resolveu andar a esmo nas dependências do hospital à procura de eventuais pacientes em condições de receberem alta e eis que se depara com o paciente XYZ que estava ali, no pátio, segurando um caderno, um envelope de carta e uma caneta, dando a entender que estava escrevendo uma carta e ao vir seu médico predileto se aproximar o cumprimentou dizendo:

- Tudo bem, doutor? O que faz agora, aqui fora?

O doutor respondeu que estava espairecendo um pouco e aproveitou para perguntar o que seu paciente estava fazendo com aquele caderno, envelope e caneta em punho e ele prontamente respondeu:

- Doutor, estou redigindo uma carta para mim.

Surpreso, o doutor quis saber de mais detalhes acerca daquela carta redigida por seu cliente e fez outra pergunta:

- O senhor poderia revelar o que está escrito nessa sua carta?

Sem muita parcimônia, o paciente respondeu:

- Doutor, infelizmente eu desconheço o teor dessa minha carta, justamente porque os Correios estão em greve e o carteiro ainda não me fez a entrega dela.

Em seguida o paciente redator daquela missiva sui generis tratou de mudar para um local menos movimentado onde ele pudesse se concentrar um pouco mais, bem longe de pessoas curiosas.


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 15Exibido 154 vezesFale com o autor