Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
71 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55322 )
Cartas ( 21071)
Contos (12178)
Cordel (9606)
Crônicas (21333)
Discursos (3113)
Ensaios - (9920)
Erótico (13145)
Frases (40229)
Humor (17570)
Infantil (3576)
Infanto Juvenil (2310)
Letras de Música (5419)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135945)
Redação (2881)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4238)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Teses_Monologos-->Escravidão antes e nos dias de hoje -- 18/10/2007 - 00:27 (Leonardo Koury Martins) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Escravidão antes e nos dias de hoje

Estamos no último país a abolir a escravidão, mas ainda perguntamos se alguma coisa mudou? Se o negro agora deixou de ser visto como objeto. Se as pessoas têm consciência que a escravidão realmente acabou.

O Brasil às vezes parece que não deixou de ser colônia dos países de primeiro mundo imagine se a escravidão ficaria sem deixar suas marcas entranhadas na cultura dos brasileiros. Ainda temos um país de negros em maioria herdando baixos índices sociais. Discutimos cotas raciais com o objetivo de diminuir o atraso social a esta parcela significante da população que durantes séculos foi escravizada, agora a discussão do presente mais justo ainda não fazemos tamanho debate, afinal não existe preconceito!

Jacob Gorender recorre aos navios negreiros e seus mercadores de escravos para dar base ao lucro do comércio escravista no Brasil, hoje com a abolição dos escravos, a situação não está muito diferente, a cultura do negro ser um objeto, algo hora dispensável continua na mídia, qual a cada dez artistas presentes na televisão brasileira apenas uma é negro, mas a falta de espaço encontra-se em todos os espaços, tanto dentro das universidades, quanto nos cargos de chefia.

O preconceito na sociedade caracteriza-se no momento em que o negro com dinheiro é igual a negro jogador de futebol ou artista, isso quando esta visão do negro com dinheiro no bolso ainda é amistosa, para não dizer na visão: negro e dinheiro / negro no crime organizado.

E ainda muitos de nós tentando partir para o discurso de cotas, sendo que o racismo está não apenas nos bancos universitários, enfim, entranhado em todo brasileiro. Onde você guarda seu preconceito racial? Se você pensou onde guarda é porque existe, só não se assume afinal não temos! Não é?






Leonardo Koury Martins é graduando de Serviço Social pelo Centro Universitário UNA, Assesssor de Políticas de Juventude da Coordenadoria Municipal da Juventude de Belo Horizonte e Secretário Geral do PTbh Pampulha
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui