Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
130 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56470 )
Cartas ( 21122)
Contos (12490)
Cordel (9844)
Crônicas (21809)
Discursos (3123)
Ensaios - (9983)
Erótico (13198)
Frases (41497)
Humor (17697)
Infantil (3604)
Infanto Juvenil (2328)
Letras de Música (5448)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (136956)
Redação (2885)
Roteiro de Filme ou Novela (1048)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4478)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Discursos-->POR QUE ESCREVO -- 26/08/2009 - 20:03 (Edmar Guedes Corrêa****) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Algumas pessoas escrevem para desabar (como numa terapia), para dizer aquilo que não tem coragem de dizer a outra ou por não ter a quem dizê-lo; outras fazem das letras uma profissão, uma forma prazerosa de ganhar o seu sustento – afinal nesse mundo moderno quem não “trabalha” não tem como viver dignamente –; outros ainda escrevem não só pelo simples prazer de escrever mas com a esperança de que suas palavras possam mudar o mundo, embora poucos consigam, pois muitos não se preocupam tanto assim com isso. Eu, se tivesse que definir em qual dessas categorias me encaixaria, não saberia em qual. Quanto à primeira, tenho de confessar que amiúde escrevo uma coisinha ou outra como forma de desabafo, mas também almejo (aliás, como a maioria daqueles que gostam de escrever) fazer da literatura uma profissão, e por que não contribuir para um mundo melhor. Sou o tipo de pessoa que, de quando em quando, sinto-me quase um prisioneiro em minha própria época, preso à verdades impossíveis de conciliar; e a literatura me parece uma forma não só de desmascarar essas verdades como também mostrar que, sem elas, o homem pode viver melhor.



SE VOCÊ GOSTOU DESSE TEXTO, LEIA TAMBÉM:
NESSES TEMPOS DE INDIFERENÇA
MENTIRAS VERDADEIRAS
O PRAZER DA BUSCA
UMA BUSCA INUTIL
CURTAS MENTES
NEM QUE EU FOSSE...
O ÚLTIMO REPOUSO
QUANDO SE ESTÁ AMANDO
A NOBREZA DO AMOR
DISCURSO DE UM ELEITOR
EU NÃO ME ENGANO
AMAR NÃI É APODERAR-SE
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 267Exibido 1862 vezesFale com o autor