Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
107 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55580 )
Cartas ( 21086)
Contos (12213)
Cordel (9652)
Crônicas (21423)
Discursos (3115)
Ensaios - (9924)
Erótico (13156)
Frases (40556)
Humor (17584)
Infantil (3581)
Infanto Juvenil (2319)
Letras de Música (5429)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (136173)
Redação (2882)
Roteiro de Filme ou Novela (1041)
Teses / Monologos (2376)
Textos Jurídicos (1910)
Textos Religiosos/Sermões (4276)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Teses_Monologos-->TEIA DE ARANHA -- 22/07/2012 - 12:05 (Edmar Guedes Corrêa****) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Um passo adiante e eu caio no abismo
Da certeza de que estou atado
Aos indesatáveis nós do conformismo
Com essa vida sem significado

Sou tomado pelo desespero de ter
Caído numa teia de aranha
A qual sente prazer em me absorver
A vida com suas garras estranhas.

Olho ao redor e só há pessimismo.
E tantas vidas no meu estado.
Todos, sem exceção, em busca dum abismo
Para atirar-lhe os pesadelos, sem tê-los sonhado.

Talvez seja o desejo de querer -- sem poder --
A liberdade com suas asas tamanhas
E ter direito à alegria e o prazer
Sem a culpa de uma alma estranha.

ENCONTRE-ME TAMBÉM:
NO ORKUT
NO FACEBOOK
TWITTER
NO MEU BLOG




LEIA TAMBÉM:
FARDO PESADO
APARÊNCIAS
EU VAGUEIO PELA VIDA
DIVAGANDO EM ALTO MAR
UM INIMIGO CRUEL
PENSAMENTOS TENPESTUOSOS(2)
O TOTALITARISMO E A CRIATIVIDADE
UM SONHO DISTANTE
TALVEZ A VIDA SEJA ASSIM
UM SIM À VIDA
A CULTURA NO LIXO
OS PENSAMENTOS FLUEM
A VIDA É UM FAGMENTO
A VIDA É UM FARDO LEVE
A LEVEZA DA DANÇA

NÃO DEIXE DE LER: 30 TEXTOS MAIS LIDOS DA USINA NOS ÚLTIMOS 6 MESES

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 266Exibido 813 vezesFale com o autor