Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
82 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55340 )
Cartas ( 21071)
Contos (12177)
Cordel (9607)
Crônicas (21338)
Discursos (3113)
Ensaios - (9921)
Erótico (13148)
Frases (40252)
Humor (17570)
Infantil (3576)
Infanto Juvenil (2311)
Letras de Música (5420)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135959)
Redação (2881)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2375)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4239)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Teses_Monologos-->A FALSA NOÇÃO DE QUE O HOMEM É BOM -- 07/04/2016 - 20:11 (Edmar Guedes Corrêa****) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Embora ainda presente no imaginário cultural do ocidente, há muito que foram descartadas noção de que o homem é bom, igualitário e dotado de um instinto de rebanho, onde procuramos o melhor para o outro ou o todo em detrimento do que é melhor para si. Essa visão, cristã de um lado e socialista do outro, mostrou-se nos dois últimos séculos o quanto enganado estávamos quanto a nós mesmos. A deterioração da moral cristã e o completo fracasso do socialismo, os quais só foram capazes de manter sua hegemonia sobre uma sociedade com a persuasão e o terror, ocorreu porque o homem é, até o mais profundo recanto de sua alma, um ser egoísta, opressor e apropriador. E por mais que se tente modificá-lo e obrigá-lo a domar essa força, os resultados serão sempre no sentido de enfraquecimento e empobrecimento da capacidade criadora, afetando inclusive a evolução cultural da sociedade, levando muitas vezes o indivíduo ao desespero, à desesperança e a uma reação agressiva, na tentativa de destruir esse mundo faz de conta. Não por acaso, vemos estupefatos e incrédulos as ações de indivíduos que sem uma razão aparente comete as mais terríveis atrocidades. Aliás, Nietzsche, usando a sua linguagem própria e a sua forma peculiar de expor suas ideias, critica no aforismo 259 de “Além do Bem e do Mal: Prelúdio a uma Filosofia do Futuro”, essa noção cristã, rousseauniana e socialista de ver o homem, a qual ele a considera equivocada. Eis o início do referido aforismo, cuja tradução foi feita por Paulo César de Souza para e editora Companhia das Letras:

“Abster-se de ofensa, violência, exploração mútua, equiparar sua vontade à do outro; num sentido tosco isso pode tornar-se um bom costume entre indivíduos, quando houver condições para isso (a saber, sua efetiva semelhança em quantidade de força e medidas de valor, e o fato de pertencer a um corpo). Mas tão logo se quisesse levar adiante esse princípio, tomando-o possivelmente como um princípio básico da sociedade, ele prontamente se revelaria como aquilo que é: vontade de negação da vida, princípio de dissolução e decadência. Aqui devemos pensar radicalmente até o fundo, e guardamo-nos de toda a franqueza sentimental: a vida mesma é essencialmente, apropriação, ofensa, sujeição do que é estranho e mais fraco, opressão, dureza, imposição de formas próprias, incorporação e, no mínimo e mais comedido, exploração...”


ENCONTRE-ME TAMBÉM:
NO RECANTO DAS LETRAS
NO FACEBOOK
TWITTER
NO MEU BLOG



LEIA TAMBÉM:
UM VIR A SER TALVEZ
SANGRANDO ILUSÕES
E SE O MUNDO SEMPRE EXISTIU?
TODO QUE TENHO
O MAIOR EQUÍVOCO DA NATUREZA
ESSA FALSA LIBERDADE
O HOMEM QUE FRACASSA
SOBRE A LIBERDADE
POR TRÁS DA CARIDADE
O MAIOR ERRO DO SOCIALISMO
NA DOR ESTÁ A DISTINÇÃO ENTRE OS HOMENS
IMAGINAÇÃO E PRAZER
TEIA DE ARANHA
FARDO PESADO
APARÊNCIAS
EU VAGUEIO PELA VIDA
DIVAGANDO EM ALTO MAR
UM INIMIGO CRUEL
PENSAMENTOS TENPESTUOSOS(2)
O TOTALITARISMO E A CRIATIVIDADE
UM SONHO DISTANTE
TALVEZ A VIDA SEJA ASSIM
UM SIM À VIDA

NÃO DEIXE DE LER: 30 TEXTOS MAIS LIDOS DA USINA NOS ÚLTIMOS 6 MESES
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 266Exibido 702 vezesFale com o autor