Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
83 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55060 )
Cartas ( 21063)
Contos (12134)
Cordel (9568)
Crônicas (21229)
Discursos (3108)
Ensaios - (9913)
Erótico (13135)
Frases (39989)
Humor (17551)
Infantil (3562)
Infanto Juvenil (2309)
Letras de Música (5414)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135730)
Redação (2875)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2374)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4205)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Redação-->RIO QUATROCENTOS ANOS -- 02/04/2008 - 19:13 (ANGELA FARIA DE PAULA LIMA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


ECOS DA JUVENTUDE X

RIO, QUATROCENTOS ANOS

Rio que eu gosto!
Rio que se manifesta nas favelas coloridas, no trejeito da mulata, na batucada que desce dos morros. E os negros sambando, gritando, gingando, trazendo à cidade as bárbaras danças africanas.

Rio que é a voz dos gentios!
Do pai-de-santo, do Ogum, do Xangô, da santa, que nas passagens de ano recebe homenagens, presentes preciosos, que vão para o fundo do mar.

Rio que é o protótipo da beleza natural!
O Pão de Açúcar, o Corcovado, que embebem nossos olhos de êxtase sem fim.

Rio que vem e vai como as ondas do mar. Vem com sua história maravilhosa e vai com sua fama para todos os recantos do Brasil.

Rio desse mar que acalenta os sonhos do passado. De um maravilhoso céu que completa a sua beleza cristalina. Das manhãs ensolaradas. De sol que clareia as suas praias como o amor que sentimos por você clareia todas as arestas do nosso coração. As suas noites enluaradas acalentam casais de namorados que, esquecidos de tudo, trocam juras de amor.

Como as primeiras caravelas, você aparece para nós. A princípio como miragem no oceano e depois como algo definido, concreto, digno da nossa crença, pois com seus quatrocentos anos você completa, para nós, a sua maioridade.

Rio que aparece com os primeiros albores da aurora.
Que se levanta no meio da neblina da madrugada para gritar a sua glória a todas as nações.
Rio, cujo amor se cristaliza em nós!
Rio de Janeiro!
Cidade Maravilhosa!
Menina dos olhos do Brasil!
Parabéns!...

Junho de 1965

Obs:- Essa redação valeu-me o primeiro lugar em um concurso promovido entre escolas com alunos em curso ginasial, para representar o Estado de MG nas festividades do Quarto Centenário da cidade do Rio de Janeiro.

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui